Categorias
Dicas TCC

Tudo Sobre Resenha Crítica: Um guia completo

O que é uma resenha crítica? E para que serve? Se você quer saber mais, veja a seguir tudo sobre resenha crítica.

A resenha crítica é uma modalidade de texto bastante usual, principalmente no meio acadêmico e entre os redatores. Sua estruturação é feita sob três pontos: introdução, desenvolvimento e conclusão.

Além dessa tríade, a resenha também considera a versão argumentativa do autor. Então, se você quer saber tudo sobre resenha crítica, leia o artigo a seguir.

O que é resenha crítica?

Inicialmente, para saber tudo sobre resenha crítica, importante entender que ela é uma observação. Seja de uma obra literária, de um filme ou até mesmo de uma apresentação artística.

A resenha crítica se configura em uma análise profunda sob o ponto de vista do autor. Assim, as observações feitas ao longo do texto, trazem a visão crítica de quem está escrevendo.

Quem escreve uma resenha crítica deve conhecer o assunto de forma aprofundada. Pois ali estará impressa a opinião embasada do autor sobre o tema estudado.

Além disso, importante buscar a perspectiva de outros autores sobre o mesmo assunto na intenção de contextualizar. Assim, a resenha fica melhor estruturada e articulada, deixando a leitura mais leve.

Como fazer resenha crítica

Por se tratar de um texto argumentativo, a resenha crítica precisa ser estruturada a partir de uma introdução, desenvolvimento e conclusão. Mas diferentemente de um artigo científico, essa estrutura é mais leve.

Ou seja, a escrita deve ser fluida, mesclando a escrita descritiva com a escrita crítica. No entanto, o autor deve cuidar para não ficar na superficialidade e na imparcialidade.

Conforme já comentado, a resenha é sim a expressão crítica do autor sobre determinado assunto. Mas antes de saber é importante salientar que não devem haver erros gramaticais.

Quem se dispõem a escrever um texto, deve conhecer as regras de português, como acentuação, pontuação, conjugação de verbos. Além disso, a resenha crítica deve escrita sempre na primeira pessoa, visto que é a opinião do autor.

resenha crítica

Dicas antes de começar a escrever sua resenha

Mas antes de começar a escrever, você precisa entender tudo sobre resenha crítica. Primeiramente, imprescindível conhecer o assunto sobre o qual se quer escrever. Ou seja, é preciso estudar o tema em questão.

Então, seja um livro, um filme, uma peça de teatro, um concerto, um show, uma palestra. Assim, você mesmo terá que vivenciar essa experiência se quiser opinar sobre ela. Até mesmo para não incorrer no erro de cometer plágio!

Se a sua resenha for de um livro, vale a pena ler e reler a obra e fazer apontamentos ao longo dela. Essa técnica ajudará bastante na hora de construir o seu texto.

Mas se a resenha for de uma apresentação, esteja preparado para prestar atenção em todos os detalhes. Deixe ligado todos os seus sentidos e busque perceber tudo o que acontece ao seu redor.

Oura dica valiosa é absorver o que você acabou de aprender. Mas o que é isso? Depois de ler o livro, ver o filme ou a apresentação, reflita sobre tudo o que você leu, viu e ouviu.

Até mesmo consulte outros materiais, converse com outras pessoas, discuta sobre o assunto. Faça anotações de todas as informações e tenha certeza que você já tem tudo sobre resenha crítica antes de começar a escrever.

Iniciando sua resenha crítica

Ao iniciar sua resenha crítica, comece identificando e apresentando a obra que será analisada a seguir. Mostre ao seu leitor sobre o que se trata o texto, apresentando o autor e até mesmo o ano de publicação.

Posteriormente, em um novo parágrafo, discorra um pequeno panorama sobre o que se trata aquela obra. Ou seja, situe o leitor sobre as principais características e objetivos já na introdução da resenha.

Também importante demonstrar a estrutura da obra, número de páginas, capítulos, tipo de narrativa utilizada. Deixe seu leitor bem informado em tudo sobre resenha crítica da obra avaliada.

Após essa breve descrição, chegou o momento de escrever. É o momento em que você irá analisar de forma criteriosa e sistemática todo o conteúdo estudado.

Assim, busque embasar seu texto de forma consistente. Tanto com opiniões a favor quanto com opiniões contrárias. Saiba mesclar outros autores com seus pontos de vista, buscando dar credibilidade à sua escrita.

Também é possível descrever sobre o público-alvo daquela obra. Assim como trazer maiores detalhes sobre a vida do autor resenhado. Podendo até apresentar outras produções da mesma pessoa.

Contudo, muito cuidado com o tamanho de sua resenha. Ela não pode ser um simples resumo. Assim como também não dever ser tão extenso quanto um livro.

Tenha bom senso e pense nos pontos-chave que devem ser apresentados. Lembre-se de ser objetivo, porém sem ser superficial. Pondere sobre as informações que são realmente necessárias e aquilo que pode ficar de fora.

Categorias
Regras ABNT

Tabelas e figuras: como preparar seguindo a ABNT

Saiba como inserir tabelas e figuras de acordo com a ABNT em seu TCC.

A inserção de tabelas e figuras no seu TCC pode fazer toda a diferença para quem lê o seu trabalho. Afinal de contas, elas são de grande auxílio para resumir dados, apresentar resultados, além de tornar o conteúdo mais interessante para o leitor.

Por isso, é extremamente importante saber configurar corretamente as tabelas e figuras de acordo com a ABNT. Este artigo irá te ensinar como fazer para garantir um ótimo resultado no seu trabalho de conclusão de curso ou monografia

Por que usar tabelas e figuras

Primeiramente, é importante entender porque usar tabelas e figuras. Elas são um poderoso elemento que ajuda não apenas enriquecer, mas também facilita a compreensão do seu trabalho para quem o lê.

Pense no seguinte exemplo: durante o TCC você estudou as alterações de temperatura de um determinado lago de um parque por um período de 30 dias, registrando a temperatura 3 vezes ao dia. Ou seja, no final você teve 90 marcações.

Todos os valores de temperatura obtidos durante esse período são os seus resultados e devem aparecer na respectiva seção do TCC. Já pensou como você faria para descrever estes resultados? Ficou complicado certo? A melhor forma seria apresentar estas informações em uma tabela.

Vamos a mais um exemplo. Ainda pensando no lago do experimento acima. Pense que você quer medir a temperatura do lago em diferentes profundidades.

Entretanto, para te auxiliar nesta tarefa, foi necessário criar um dispositivo que fosse capaz de chegar até a profundidade desejada.

A explicação de como o dispositivo foi montado e de como ele deve ser utilizado é fundamental para que o leitor entenda o que fio realizado durante o trabalho. Além disso, a total compreensão dele também irá auxiliar outros alunos ou pessoas que queiram realizar um trabalho semelhante.

Provavelmente você conseguirá explicar como o dispositivo foi elaborado utilizando um texto. Apesar disso e se você incluísse uma imagem explicando cada uma das partes utilizadas? Provavelmente ficaria muito mais clara a explicação e a compreensão? Este é um dos motivos de inserir as figuras nos trabalhos.

tabelas e figuras

Qual a diferença entre quadro e tabela

Antes de continuarmos com as normas ABNT para tabelas e figuras é necessário que você entenda a diferença entre tabela e quadro.

Um quadro é composto por linhas verticais e horizontais, sendo totalmente fechado nas suas extremidades. Ele deve ser utilizado para expressar dados qualitativos.

Já a tabela é formada somente por linhas verticais, sem bordas demarcadas. Geralmente há uma linha para delimitar o cabeçalho da tabela, em cima e embaixo, além de outra linha ao final da tabela. Ela é uma ferramenta essencial para expressar dados quantitativos.

Dada esta diferença, a ABNT classifica o quadro como sendo uma ilustração, devendo, portanto, seguir as mesmas orientações de formatação de uma figura.

Recomendações para tabelas e figuras

Saiba agora como fazer a formatação das tabelas e figuras seguindo as normas da ABNT. Para estes dois elementos existem algumas recomendações que não fazem parte da ABNT, mas que são importantes na hora de preparar a sua tabela e figura:

  • Serem autossuficientes, de forma que possam ser entendidas sozinhas, sem a necessidade de recorrer ao texto para isso;
  • Tenham somente os dados que sejam essenciais para seu entendimento;
  • Os dados apresentados devem estar ordenados de forma lógica, com todas as unidades e símbolos necessários.

Formatação de tabelas e figuras ABNT

O primeiro passo ao preparar as suas tabelas e figuras é pensar na identificação que elas precisam ter. Esta identificação deve ser incluída logo acima do elemento. A primeira palavra deve ser indicando o tipo de elementos: Tabela, Figura.

O nome deve vir seguido do número da tabela ou da figura. Elas devem ser numeradas de forma sequencial, utilizando algarismos arábicos. A numeração é feita conforme as tabelas e figuras vão aparecendo no trabalho.

Entretanto, cada um destes elementos deve ser numerado separadamente. Ou seja, Tabela 1, Tabela 2, Tabela 3, Figura 1, Figura 2, Figura 3 e assim por diante.

Além do nome, as tabelas e figuras devem indicar também a fonte. Mesmo que os dados sejam inéditos e produzidos pelo autor do trabalho, o sobrenome do autor e o ano devem ser mencionados.

Nos casos em que for necessária incluir alguma abreviação na tabela, esta abreviação deve ser explicada logo depois da fonte.

Tanto o nome da tabela ou figura quanto a fonte devem ser escritos no mesmo tipo de fonte utilizado no trabalho, em tamanho 10, alinhados à esquerda e com espaçamento simples.

Lembre-se de que uma das recomendações da ABNT para o TCC ou monografia é incluir todas as tabelas e figuras nas suas respectivas listas, que fazem parte dos elementos pré-textuais.

Categorias
Regras ABNT

Número de páginas TCC: quantas o seu deve ter

Conheça a indicação de número de páginas para o TCC e entregue um trabalho sob medida.

Você já tirou todas as dúvidas sobre trabalho de conclusão de curso, mas ainda não sabe nada sobre número de páginas do TCC? Existe um número mínimo de página? E o máximo? O que a ABNT diz sobre isso?

Para te ajudar a responder todas estas questões, preparamos este artigo. Não perca esta oportunidade de preparar um TCC sob medida.

Número de Páginas TCC, o que a ABNT diz?

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é a responsável no Brasil por criar diversas normas e regulamentação. Algumas destas normas estão relacionadas com a produção de trabalhos acadêmicos, tais como monografias, TCC, dissertações e teses.

A grande maioria das Instituições de Ensino no país utilizam as normas da ABNT para orientar os alunos na produção dos trabalhos de conclusão de cursos. Apesar disso, existem outras normas que podem ser utilizadas, tais como Vancouver e a APA (American Psychological Association).

Neste artigo trataremos sobre as normas ABNT para TCC.

Existem diferentes normas que orientam a formatação da capa, folha de rosto, ficha catalográfica, elementos obrigatórios, citações e referências. Mesmo com todas estas normas, em nenhuma delas há a menção com relação ao número de páginas do TCC.

Quantas páginas o meu TCC precisa ter?

Você deve estar se perguntando então o que fazer, já a ABNT não diz nada sobre o número de páginas do TCC. O primeiro passo deverá ser conferir o manual que a sua Faculdade ou Universidade possui para a elaboração do TCC.

Em algumas instituições de ensinos fazem exigências com relação a este item, mas isso não é obrigatório. Nestes casos, você poderá se basear no tipo de trabalho de conclusão de curso realizado, veja a lista a seguir:

  • Formato de artigo científico: no mínimo 30 páginas;
  • Formato de monografia: entre 40 a 100 páginas;
  • Projetos experimentais (trabalhos de campo ou estudos práticos): entre 25 e 50 páginas.

Vale lembrar também que por mais completo que você queira que o seu trabalho seja, não há a necessidade de escrever 200 páginas. Geralmente os trabalhos de conclusão de curso possuem entre 30 e 60 páginas.

É imprescindível dizer que esse número de páginas é para o desenvolvimento do trabalho. Portanto, os elementos pré e pós-textuais não devem ser levados em consideração.

número de paginas

Páginas obrigatórias

Como dissemos, a ABNT orienta a inclusão de itens obrigatórios na elaboração do TCC.

Os elementos pré-textuais são inseridos para apresentar o trabalho realizado para o leitor. Esta parte deve conter, obrigatoriamente: capa, folha de rosto, resumo em português e em língua estrangeira, listas (figuras, tabelas, siglas, símbolos e abreviações) e sumário.

Já dentro dos elementos textuais, que representam o trabalho em si, e onde o número de páginas será contado. Todos os TCCs precisam ter: introdução, desenvolvimento (material e métodos, resultados e discussão) e conclusão.

E finalmente, mas não menos importante, os elementos pós-textuais. A inclusão das referências bibliográficas é obrigatória. Mas existem outros elementos que podem fazer parte desta parte do seu TCC.

Categorias
Regras ABNT

Folha de rosto ABNT: Exemplos e Modelos para TCC

Saiba como preparar a folha de rosto ABNT para o seu TCC ou monografia.

A folha de rosto ABNT é um dos itens essenciais em um trabalho de conclusão de curso ou monografia. Assim como os demais itens que compõem o TCC, a folha de rosto também possui as suas próprias regras de formatação que devem ser obedecidas.

Neste artigo iremos tirar as suas dúvidas sobre este elemento do TCC e te ensinar como fazer a formatação correta da folha de rosto de acordo com a ABNT.

O que é folha de rosto

A folha de rosto, que é também conhecida como contra capa, é o item que irá trazer informações prévias básicas a respeito do trabalho acadêmico em questão. São elas:

  • Autor;
  • Título do trabalho;
  • Tipo de trabalho (TCC, dissertação ou tese);
  • Objetivo do trabalho (obtenção de título de Bacharel, Especialização, Mestre ou Doutor);
  • Nome do orientador e co-orientador (quando houver);
  • Cidade de entrega do trabalho, a mesma da instituição de ensino;
  • Ano de produção do trabalho.

A folha de rosto é obrigatória

Dentro das normas que a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) criou, a folha de rosto é um dos elementos pré-textuais obrigatórios de um trabalho acadêmico.

Portanto, é fundamental que você dedique algum tempo para fazer a formatação correta da sua folha de rosto ABNT. Uma vez que a correta apresentação deste elemento também será avaliada pela comissão de TCC da sua instituição.

Saiba também sobre:

Folha de rosto ABNT

Folha de rosto ABNT como fazer

Agora, vamos a parte prática de como fazer a formatação da folha de rosto ABNT. Este é o segundo elemento do seu TCC e deve ser apresentado logo após a capa. É importante mencionar que atrás da folha de rosto é onde será inserida a ficha catalográfica.

A folha de rosto se inicia com o nome do autor do trabalho. O texto deverá estar com alinhamento centralizado, fonte Arial ou Times New Roman em tamanho 12, ser escrito em caixa baixa e ter formatação em negrito.

Aproximadamente na metade da folha é inserido o título do TCC e, caso tenha, o subtítulo. O título deverá estar com alinhamento centralizado, fonte Arial ou Times New Roman tamanho 14, em caixa alta e formatação em negrito.

Logo em seguida, deverá ser inserida a chamada nota de apresentação. Contendo informações sobre o tipo de trabalho, nome da instituição de ensino e objetivo do trabalho. Veja este exemplo de nota de apresentação para TCC:

Trabalho de conclusão de curso, apresentado ao Curso de ZZZ à Universidade XXX, como requisito para obtenção do título de Bacharel em YYY.

A formatação desta nota é a seguinte: recuo de 7 cm da margem esquerda, fonte Arial ou Times New Roman, caixa baixa, tamanho 10, espaçamento simples e com alinhamento justificado

Depois da nota de apresentação uma linha deverá ser pulada e o nome do orientador e do co-orientador (quando houver), devem ser inseridos. A formatação utilizada é a mesma da nota.

No final da página, devem ser incluídos a cidade e o ano em que o trabalho foi realizado. A cidade é que o trabalho foi apresentado, sendo a mesma da instituição de ensino.

Estes dois elementos devem ser apresentados com alinhamento centralizado, fonte Arial ou Times New Roman, tamanho 12, em negrito e caixa alta. A formatação é semelhante a utilizada na capa ABNT.

Exemplos

Veja a seguir alguns exemplos de folha de rosto ABNT. Assim você não vai errar na hora de fazer a formatação correta para o seu TCC ou monografia.

Categorias
Dicas TCC

10 dicas infalíveis para apresentar um TCC excelente

Confira as 10 INFALÍVEIS dicas para APRESENTAR TCC e garanta a nota máxima no seu.

Conhecer algumas dicas para apresentar TCC que deixarão o seu trabalho melhor é sempre bom. Principalmente, durante o final do curso de graduação, quando a tensão costuma ser grande, e quando toda ajuda é bem-vinda.

Neste artigo vamos dar algumas dicas de como desenvolver e como se preparar para entregar um excelente TCC ou monografia. Fique com a gente até o final e garanta a sua nota.

10 Dicas para apresentar TCC que são infalíveis

A produção de um TCC exige muito dos alunos, portanto, a organização, a boa relação entre orientar e aluno e a dedicação são fundamentais para um bom resultado. Confira agora as nossas dicas.

  1. Conheça as regras da sua Universidade

A primeira coisa que o aluno deve fazer é se inteirar e conhecer bem quais são as normas da instituição para a realização do TCC. Isto porque, o trabalho de conclusão de curso pode ser de diferentes tipos, dependendo até mesmo do curso que você está fazendo.

Em algumas instituições é possível apresentar um estudo experimental, em outros um estudo de caso, pode ser também uma revisão de literatura. Ou seja, é importante conhecer todas as possibilidades antes de definir qual será o caminho que você irá seguir.

Nesta etapa vale conversar com ex-alunos, tirar dúvidas com professores além de fazer uma visita à biblioteca da faculdade para trabalhos realizados nos anos anteriores.

Dicas para TCC

  1. Prepare um cronograma

Final do curso é sempre aquela correria, provas finais, estágio, horas de atividade complementar para fazer e ainda tem que fazer o TCC. Falando isso, já deu para perceber que organização não é apenas necessária, mas sim fundamental.

Por isso que essa dica para TCC trata de um grande aliado na hora de se organizar para a produção do seu trabalho, que é preparar um cronograma, e cumpri-lo, claro!

Para preparar o cronograma de TCC será necessário dividir todas as tarefas que você deverá fazer durante o trabalho, ao longo dos meses que você terá para desenvolver o trabalho.

Lembre-se que cada Universidade tem um prazo diferente para entrega do TCC.

Vale lembrar ainda que a discussão do cronograma com o orientador é fundamental. Desta forma será possível ter um plano de ação que seja realista com a disponibilidade de tempo.

  1. Orientador criativo e exigente, um grande trunfo

A escolha de um orientador é uma das partes mais cruciais de um TCC. Isso porque professores que não exigem muito dos alunos ou não dão liberdade para que o aluno possa criar, não são os melhores orientadores.

É fundamental que o orientador saiba ouvir os alunos e guia-los pelo melhor caminho, auxiliando o aluno a resolver “os problemas” do TCC. Mas é importante que o aluno seja capaz de criar e elaborar as suas próprias questões. Já tratamos aqui sobre a relação do aluno com o orientador, que tal ler este artigo? Relação aluno-orientador: dicas e práticas de como melhorá-la

  1. Trabalhe com quem complementa as suas habilidades

Muitas instituições de ensino e cursos de diferentes áreas permitem que o TCC seja realizado em dupla ou em grupo. E como você já deve saber, trabalho em grupo nem sempre é a melhor opção. Imagine então com todo o estresse de final de curso.

Por isso, a nossa quarta dica para um TCC incrível é justamente relacionada à escolha dos seus colegas de trabalho. Neste momento a afinidade deve ser deixada de lado e a escolha deve ser baseada em outros pontos.

A escolha de pessoas que possuem habilidade complementares às suas pode ser um grande diferencial.

Pense da seguinte forma, você é excelente em redação, mas se atrapalha um pouco na hora de fazer pesquisa bibliográfica.

Já pensou se o seu colega for um expert em pesquisa mas não tão bom em redação o quanto isso facilitaria o andamento do trabalho para os dois?

  1. Escolha um tema que lhe agrade

A nossa quinta dica para TCC está relacionada ao tema que será desenvolvido. A recomendação é que você busque um tema que seja, no mínimo, agradável para você.

Lembre-se que provavelmente você passará, pelo menos, os próximos 6 meses mergulhado em livros e artigos sobre o mesmo tema, e não tem nada pior do que ser forçado a estudar algo que você não gosta.

Quando o assunto é interessante, os momentos de estudos são melhores, as dúvidas e curiosidade surgirão de uma forma mais natural.

E vale mencionar que não há necessidade de pensar em nada gigantesco para o seu trabalho. Por mais que o trabalhe fique bom, você não irá ganhar nenhum prêmio Nobel pelo seu TCC.

  1. Leitura é essencial

Como já deve ter dado para perceber, a leitura é algo fundamental durante o desenvolvimento do TCC ou monografia. Não tem como fugir dela, afinal de contas é através da aquisição de conhecimento que o trabalho poderá ser desenvolvido.

O aluno precisa demonstrar que ele tem não apenas o conhecimento básico e teórico sobre o assunto, mas também que ele é capaz de comparar e discutir o que foi feito com outros estudos semelhantes.

  1. Fique atento às normas da ABNT

Ter conhecimento sobre as normas ABNT é essencial para quem está desenvolvendo o TCC. Isso porque a maioria das Universidades e Faculdades exigem que os trabalhos sejam elaborados de acordo com elas.

Portanto, é preciso conhecer quais são essas normas, e aplica-las desde o início do trabalho. Assim você não precisará se preocupar com a formatação depois e correr o risco de esquecer alguma coisa.

Fizemos um guia completo sobre estas normas: Normas ABNT para TCC: Um Guia absolutamente completo

  1. Plágio nunca

Essa dica para TCC é extremamente importante. Isso porque na hora do desespero alguns alunos acabam copiando trechos de outros trabalhos, ou seja, recorrem ao plágio.

Hoje em dia existem diversas ferramentas para a verificação de plágio, e elas são muito eficientes. Portanto, por mais tentador que seja, é melhor não copiar nenhum trecho.

Lembre-se que caso a frase seja realmente muito importante no seu trabalho, você poderá sempre utilizar a ferramenta literária de citação, incluindo o nome do autor do trecho. E isso não é plágio. Sabe como fazer citações? Leia este artigo (Como fazer citação nas normas da ABNT)

  1. Pratique bastante para a apresentação

Geralmente, a última etapa do TCC ou monografia é a apresentação do trabalho para uma banca avaliadora. Como falar em público pode ser um verdadeiro desafio para muitos alunos, é fundamental praticar a apresentação.

Você pode reunir os amigos da faculdade e cada um apresentar o seu trabalho, os demais pode dar dicas e fazer perguntas.

Outra dica é gravar em áudio a apresentação e ouvir em seguida. Esta técnica ajuda a perceber onde estão os pontos fracos e que podem ser melhorados.

  1. O TCC vai além da nota

E a nossa última dica para TCC é lembrar que esta é apenas uma etapa na sua vida profissional. O TCC representa o encerramento de um ciclo, pelo qual você vinha se preparando nos últimos 4 ou 5 anos.

Depois de finalizada a graduação, muitos alunos iniciarão a sua vida no mercado de trabalho. Por isso é fundamental encarar o TCC com muita seriedade.

Além disso, para aquelas pessoas que desejam seguir a carreira acadêmica, esse é apenas o primeiro passo, de muitos que precisarão ser dados.

Portanto, encare o TCC como uma oportunidade de aprendizado e de mostrar todo o seu potencial.

Espero que estas dicas para apresentar TCC tenha te ajudado!

Categorias
Regras ABNT

Margens ABNT 2020: Saiba Tudo Sobre

A formatação de trabalhos acadêmicos leva em consideração diversos elementos. E as Margens ABNT 2020 de um trabalho são tão importantes quanto todo o resto.

Ao iniciar o processo de formatação de um trabalho acadêmico, um dos primeiros itens a ser verificado são as margens. Seja em um artigo científico, em uma monografia, um TCC, uma resenha crítica.

Assim, a configuração das Margens ABNT 2020 segue determinados padrões conforme descrito na NBR 14724. Portanto, as margens não são apenas casualidade, mas sim uma determinação exigida em normativa.

Sobre as Margens ABNT 2020

A NBR 14724 rege sobre diversos elementos que compõem um trabalho acadêmico, inclusive sobre as Margens ABNT 2020. Inicialmente, deve-se entender que a impressão é realizada em folha A4.

Com isso, temos uma melhor distribuição do conteúdo, criando assim uma visualização mais harmônica. Pois as Margens ABNT 2020 fazem com que o dimensionamento do texto fique delimitado dentro de um padrão.

Para tanto, a determinação é de que as margens de um trabalho acadêmico obedeçam às seguintes regras:

  • Margem superior: 3 cm da borda
  • Margem inferior: 2 cm da borda
  • Margem esquerda: 3 cm da borda
  • Margem direita: 2 cm da borda

Ou seja, todo o texto estará, obrigatoriamente, compreendido dentro destes parâmetros. Assim, não haverá sobra de texto nem para cima ou para baixo, muito menos para os lados.

Margens ABNT 2020

Formatando

Para formatar as Margens ABNT 2020, basta seguir algumas regras bem básicas e simples. Lembrando que essa formatação é uma das primeiras a serem feitas no trabalho acadêmico, pois ela irá direcionar o restante dos elementos.

Assim, a formatação no Word 2016 acontece da seguinte forma. Primeiramente, acesse os menus na parte superior da página e então clique no menu ‘Layout’. Posteriormente, clique na opção ‘Margens’, disposta no lado esquerdo da tela.

Com isso, escolha a opção ‘Margens Personalizadas’ no final da lista. Dessa forma, abrirá a janela ‘Configurar Página’ e na aba ‘Margens’ serão digitadas as seguintes informações:

  • Superior: 3 cm
  • Inferior: 2 cm
  • Esquerda: 3 cm
  • Direita: 2 cm
  • Medianiz: 0 cm
  • Posição da medianiz: Esquerda
  • Orientação: Retrato
  • Várias páginas: Normal
  • Aplicar a: No documento inteiro

No final da janela, ao terminar as configurações, existe o botão ‘Definir como Padrão’. Ou seja, este padrão pode ser definido para todos os documentos com base neste mesmo modelo.

Ao finalizar estas configurações, basta clicar no botão ‘OK’ e todo o documento será automaticamente atualizado. Com isso, as Margens ABNT 2020 estarão prontas e o restante do trabalho poderá ser formatado.

Outras Margens ABNT 2020

Além das margens da folha, conforme descrito acima, existem outras margens específicas ao longo do texto. Um destas margens é em relação ao início do parágrafo.

Assim, o recuo para início de um parágrafo deve ser de 1,25 cm. E essa formatação pode ser feita diretamente na régua ou no menu ‘Parágrafo’. Sendo assim, deve escolher Recuo > Especial > Primeira linha > 1,25 cm.

Em relação as citações diretas longas, estas deverão ter um recuo maior, respeitando as Margens ABNT 2020. Para tanto, o recuo deverá ser de 6 cm no parágrafo inteiro, com fonte tamanho 10 e espaçamento entre linhas Simples.

Já as citações diretas curtas ou as citações indiretas seguem a mesma regra dos parágrafos normais. Sem qualquer tipo de recuo ou espaçamento entre linhas diferenciado.

Contudo, vale a penas ressaltar que o espaçamento entre linhas, em geral, é de 1,5. Além disso, os parágrafos são colocados no formato Justificado. Ou seja, alinhados entre as margens esquerda e direita.

Enfim, as normas das Margens ABNT 2020 servem para organizar os trabalhos acadêmicos, bem como deixá-los mais harmônicos. Com isso, entender a NBR 14724 é imprescindível para os alunos.

Categorias
Regras ABNT

Regras ABNT 2020 para trabalho acadêmico

Os trabalhos acadêmicos devem, obrigatoriamente, seguir as Normas da ABNT. Assim como algumas regras próprias de cada Instituição de Ensino. Confira tudo sobre Regras ABNT 2020 para trabalho acadêmico.

A formatação é parte fundamental em um trabalho acadêmico. Portanto, existem as Regras ABNT 2020, que auxiliam os alunos nessa construção e padronizam a apresentação de seus trabalhos.

Para quem já está na fase do TCC, saber as Regras ABNT 2020 é fundamental. Mas para quem ainda não chegou nesta etapa, é bom se ambientar a estas normas, pois certamente irá precisar.

Sobre as Regras ABNT 2020

A ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas – é uma entidade que regulamenta as normativas para vários setores brasileiros. Entre essas normativas, estão as regras de formatação de trabalhos acadêmicos.

O surgimento da ABNT é datado ainda em 1940 na padronização do concreto armado. Contudo, com o passar do tempo, as normas técnicas foram sendo ampliadas para diversos outros setores.

Atualmente, a ABNT tem a responsabilidade técnica pela padronização de diversos bens de consumo. Assim, garantindo não apenas o desenvolvimento tecnológico, mas também a proteção ao código de defesa do consumidor.

No que tange os trabalhos acadêmicos, as Regras ABNT 2020 mantêm um padrão, tanto na estrutura quanto na apresentação. Ou seja, de norte a sul do país, a produção acadêmica é feita da mesma maneira.

Com isso, a produção científica se desenvolve de uma maneira mais uniformizada, facilitando a troca de conhecimento. Bem como a facilidade de acesso às informações e o compartilhamento de resultados.

Portanto, as Regras ABNT 2020 foram elaboradas para que os trabalhos acadêmicos permaneçam dentro de um padrão. Assim, facilitam a produção e a disseminação de conhecimento.

A estruturação segundo as Regras ABNT 2020

Primeiramente, é necessário entender que a estrutura de um trabalho acadêmico é composta de três partes. São os chamados elementos pré-textuais, elementos textuais e elementos pós-textuais.

Sobre os elementos pré-textuais, estes são a parte inicial do trabalho acadêmico, que dão abertura ao conteúdo principal. Esses elementos são compostos dos seguintes itens:

Quanto aos elementos textuais, estes são compostos pelo conteúdo principal do trabalho. Ou seja, toda a parte de pesquisa, de dados e de produção de conhecimento estão nesta parte, composta pelos itens:

Em relação ao elementos pós-textuais, estes constituem o fechamento do trabalho. Nesse momento, o aluno opta em demonstrar materiais que o auxiliaram na pesquisa, que são:

  • Referências bibliográficas
  • Glossário
  • Apêndices
  • Anexos
  • Índice

Assim, essa estrutura já dá início ao trabalho acadêmico a ser desenvolvido. Com base nesses elementos, o aluno já pode delinear sua pesquisa e começar a montar sua monografia.

Regras ABNT 2020

Sobre as margens e a impressão nas Regras ABNT 2020

De acordo com as Regras ABNT 2020, os trabalhos acadêmicos devem ser impressos em papel tamanho A4 branco. Assim como a impressão é feita na cor preta e em apenas um dos lados da folha.

Quanto às margens, a regra a ser seguida é a seguinte:

  • Margem superior: 3 cm
  • Margem inferior: 2 cm
  • Margem esquerda: 3 cm
  • Margem direita: 2 cm

Para a impressão de fotos, imagens, gráficos e outras ilustrações, é indicado o uso de cores. Assim, facilita a visualização e a identificação das informações contidas nesses elementos.

Escrevemos um artigo onde abordamos com mais detalhes sobre Margem ABNT e espaçamento: Normas para TCC e Monografias

No que tange a encadernação do trabalho, o mais usual é a encadernação que utiliza mola espiral preta. Contudo, a primeira capa deve ser transparente, e a última capa na cor preta.

Sobre a numeração das páginas nas Regras ABNT 2020

Esta é uma das grandes dúvidas quanto às Regras ABNT 2020. Para muitos, existe a dúvida de como devem ser contadas as páginas e quais devem ser numeradas.

A primeira regra é que a capa nunca deve ser contada. Ou seja, ela é o número zero. Então se o seu trabalho tiver lombada, esta será a página número 1. Caso não tenha lombada, a folha de rosto é considerada a número 1.

No entanto, a numeração das páginas só deverá aparecer a partir dos elementos textuais. Assim, a página da Introdução será a primeira onde a numeração será exibida.

Quanto ao posicionamento, a numeração é colocada no cato superior direito. Com espaço de 2 cm, tanto da margem superior quanto da margem direita. E sua apresentação é em algarismos arábicos.

Sobre a numeração dos títulos

Para a formatação dos títulos, algumas regras devem ser seguidas. Tanto na escrita, quanto no alinhamento. Conforme as Regras ABNT 2020, o alinhamento dos títulos e subtítulos deve ser sempre junto à margem esquerda.

Quanto a ordenação, os títulos e subtítulos seguem uma ordem crescente, sempre indicada por números arábicos. E a formatação também exige certas regras, tais como:

1 TÍTULO PRIMEIRO: todas as letras maiúsculas e em negrito

1.1 TÍTULO SEGUNDO: todas as letras maiúsculas e em estilo normal

1.1.1 Título terceiro: apenas a primeira letra maiúscula, porém tudo em negrito

1.1.1.1 Título quarto: apenas a primeira letra maiúscula e em estilo normal

1.1.1.1.1 título quinto: todas as letras minúsculas e em itálico e estilo normal

Note que os números colocados para indicar a posição do título são separados por um ponto. E deve haver apenas um espaço simples entre o número e o título ou subtítulo.

Sobre os parágrafos e citações

As Regras ABNT 2020 regem que os trabalhos acadêmicos devem ser apresentados em fonte Arial ou Times New Roman. O tamanho da fonte nos textos é sempre 12.

Já o espaçamento entre linhas deve ser de 1,5 cm. Assim como o recuo no início dos parágrafos é sempre de 1,25 cm. Quanto ao tamanho, em geral se utilizam parágrafos de 7 a 10 linhas.

Quanto às citações, existem 3 tipos: citações diretas curtas, citações diretas longas e citações indiretas. E a forma de apresentação de cada uma delas é específica, pois cada uma tem suas particularidades.

As citações indiretas são aquelas em que o aluno coloca com as suas palavras o que interpretou do autor. Nesse caso, não há necessidade de colocar aspas no início e no fim da frase. Apenas indicar o autor e o ano da sua publicação.

As citações diretas curtas são aquelas que transcrevem exatamente a fala do autor em até 3 linhas. Possuem aspas no início e no fim da frase e devem conter o nome do autor, o ano da publicação e a página do livro.

No entanto, as citações diretas longas são aquelas com mais de 3 linhas. Não levam aspas, mas deve ser colocado nome do autor, ano da publicação e a página do livro de onde foi retirado.

Contudo, a formatação das citações diretas longas difere um pouco do restante do texto. Nesse caso, utiliza-se fonte tamanho 10, espaçamento entrelinhas simples e recuso do parágrafo em 6 cm.

Em relação às notas de rodapé, títulos de ilustrações, gráficos, tabelas e quadros, o tamanho da fonte é sempre 10. E o uso do itálico deve ser para destacar palavras estrangeiras.

Sobre as referências bibliográficas nas Regras ABNT 2020

A formatação das referências bibliográficas deve seguir a NBR 6023 dentro das Regras ABNT 2020. No entanto, algumas instituições utilizam o sistema autor-data e outras utilizam o sistema numérico.

Quanto ao sistema autor-data, a forma correta é sempre referenciar em uma lista alfabética ao final do trabalho. Lembrando que a referência é sempre ao sobrenome do autor.

Já no sistema numérico de referência bibliográfica, os autores são listados conforme a ordem em que apareceram no texto. Contudo, eles devem ser identificados por uma nota de rodapé.

Categorias
Dicas TCC

Relação orientador-aluno: dicas práticas de como melhorá-la

Saiba como melhorar a relação orientador-aluno durante o seu TCC ou monografia.

Muitas pessoas sabem que a relação orientador-aluno pode ser bem complicada. Entretanto este não deve ser um empecilho para que você comprometa o seu trabalho de conclusão de curso (TCC) ou a sua monografia.

Neste artigo vamos discutir um pouco como esta relação pode ser conturbada e dar algumas dicas práticas do que fazer para melhorá-la.

Entenda a relação orientador-aluno

Antes de mais nada, é importantíssimo esclarecer que a relação orientador-aluno idealmente deve ser de parceria e de respeito mútuo. Afinal de contas, as duas partes estão desenvolvendo um trabalho juntos.

É fundamental ainda lembrar que essa relação pode iniciar durante a iniciação científica ou TCC, mas ela pode durar por muitos anos ainda, com mestrado e doutorado. Portanto, uma boa relação com o seu orientador pode sim fazer a diferença no seu futuro.

Vale lembrar que o orientador é um profissional experiente, que já possui uma titulação acadêmica mais elevada, capaz de transmitir e guiar o aluno em busca do conhecimento. E acredite, isso não é tarefa fácil.

E o orientador não tem apenas a orientação dentro das suas obrigações, ele(a) ainda precisam redigir artigos científicos, escrever projetos, participar de bancas de pós-graduação, preparar e ministrar aulas, corrigir provas e orientar diversos alunos, em diferentes níveis de carreira, dentre outros.

O resultado disso é que o tempo acaba sendo um dos mais importantes bens que um orientador tem. Por isso, é essencial que os alunos saibam aproveitar o tempo destinado para discussões da melhor forma possível.

Além disso, o orientador deve ser atencioso, capaz de resolver dúvidas e fazer críticas construtivas aos alunos, bem como estar disponível para reuniões periódicas a fim de discutir o andamento do trabalho.

Já os alunos, tanto de graduação quanto da pós-graduação, estão em fase de aquisição de conhecimento, o que resulta em uma grande ansiedade e sensação de não saber nada, a famosa “síndrome do impostor”, em que você acha que não merece ou não pertence aquele ambiente.

Por isso que a organização e ter todas as metas definidas é essencial para o andamento do trabalho. Vale lembrar que a definição de metas não precisa necessariamente ser uma obrigação do orientador.

relação orientador-aluno

Dicas para melhorar a relação orientador-aluno

Tendo em mente tudo o que falamos, vamos agora dar algumas dicas bastante práticas. Seguindo estes passos você com certeza terminará o seu TCC ou monografia mais preparado para o mundo acadêmico.

  1. Não espere pelo orientador

Caso você tenha dúvidas, receios e ideias para discutir, não espere pelo orientador. Tente contata-lo e agendar um horário para que vocês possam conversar. Muitos orientadores valorizam a proatividade dos alunos.

  1. Orientador não é psicólogo

Trabalhos acadêmicos são complicados, é um processo longo e difícil, e contratempos podem surgir neste percurso, sejam eles de ordem pessoal, ou de experimentos que não dão certo.

Entenda que conversar com o seu orientador e esclarecer o que está se passando com você é importante. Isso seve para que o passo seja acertado na relação orientador-aluno.

Entretanto, orientador não é psicológico, portanto, não precisa desabafar sobre a última briga que você teve com o seu namorado(a).

  1. Não tenha medo de expor as suas fraquezas e limitações

Lembre-se que o papel do orientador é te preparar para o futuro, ou seja, ele precisa saber quais tópicos você domina e quais precisam ser melhorados ou adquiridos.

Uma vez munido destas informações ele será capaz de indicar cursos, leituras ou mesmo dedicar algum tempo para te explicar algum tópico. E quanto antes você conseguir resolver as fraquezas e limitações melhor.

  1. Esteja preparado para reuniões

As reuniões periódicas são fundamentais durante o desenvolvimento do seu TCC ou monografia, ou qualquer outro trabalho acadêmico. Elas servem para atualizar o orientador do andamento do trabalho e discutir novas ideias.

Dito isso, é fundamental que você seja pontual ao horário combinado e que esteja preparado, com todas as anotações e dúvidas em mãos.

Faça uma lista de todos os tópicos que precisam ser discutidos e não esqueça de fazer anotações do que foi discutido na reunião. Assim nenhuma informação passa despercebida.

Uma boa dica é passar a limpo todos os comentários da reunião. Isso pode ser feito em uma agenda, caderno ou arquivo eletrônico. O importante é manter a informações em local de fácil acesso e consulta.

  1. Defina quais as metas e os prazos

A definição de metas e qual o prazo para cumpri-las é fundamental para que o cronograma do seu trabalho seja mantido e você consiga finalizar o TCC dentro do tempo necessário.

Dito isso, defina com o seu orientador quais serão as metas para o seu trabalho e prazos para cada uma delas. Quanto antes melhor.

Categorias
Regras ABNT

Quais os elementos pós-textuais de um TCC: Modelo e exemplo

Assim como os elementos pré textuais e textuais de trabalho acadêmico, também é necessário construir os elementos pós-textuais. Pois são eles que fazem o fechamento do projeto.

A finalização de um trabalho acadêmico é organizada a partir da construção dos elementos pós-textuais. São eles que irão complementar toda a base de conhecimento construída ao longo do desenvolvimento do projeto acadêmico.

Assim, estes elementos irão apresentar todas as fontes utilizadas na elaboração textual, bem como complementar o projeto. São os elementos póstextuais que indicam toda a base de pesquisa utilizada pelo aluno.

O que são elementos pós-textuais

Os elementos pós textuais, como o próprio nome já diz, são aqueles que estão colocados após o desenvolvimento. Ou seja, são os elementos que irão complementar o trabalho realizado e fazer seu fechamento. Estes elementos estão contidos nas Normas ABNT para trabalho acadêmico.

Apesar de ser a última parte do trabalho acadêmico, ele é tão importante quanto os elementos pré-textuais e textuais. Sua disposição é complementada com itens tanto que são obrigatórios quanto alguns opcionais.

Assim, a colocação dos itens que são considerados opcionais será de acordo com a necessidade e visão do autor. No entanto, os elementos obrigatórios deverão aparecer em todos os trabalhos acadêmicos realizados.

elementos pós-textuais

Quais são os elementos pós-textuais

Dessa forma, para conhecer um pouco melhor sobre quais são os elementos pós textuais, seguem as informações a seguir:

  • Referências bibliográficas (obrigatório)
  • Glossário (opcional)
  • Apêndices (opcional)
  • Anexos (opcional)
  • Índice (opcional)

Sendo assim, explica-se um pouco melhor cada um dos itens acima e sua forma de apresentação. As referências bibliográficas – ou referencial bibliográfico – é obrigatório e deve ser apresentado conforme a NBR 6023.

abnt-normas_pos-textuais

Assim, devem ser citadas todas as fontes de consultas, sejam livros, manuais, ou outras pesquisas. Ou seja, é a identificação individual de todos os materiais que colaboraram na construção do trabalho acadêmico.

Apresentação das referências bibliográficas

Tem suas particularidades. De forma geral, deve-se apresentar o nome do autor, o nome da obra, o ano da publicação e a editora.

Quanto ao glossário, este elemento é opcional e consiste em uma lista de todas as expressões técnicas utilizadas. Esta lista deve ser colocada em ordem alfabética, bem como apresentar suas respectivas definições.

No que tange o apêndice, este documento é elaborado pelo próprio aluno. Tendo como objetivo dar complementariedade ao seu raciocínio. Contudo, sem prejudicar o tema já exposto ao longo do projeto acadêmico.

Caso seja necessário, pode haver mais de um apêndice. Sua forma de apresentação dever ser em letras maiúsculas (APÊNDICE). E para cada apêndice denomina-se uma letra (A, B, C) seguidos do seu respectivo título.

Em relação aos anexos, estes também são elementos opcionais. Assim, os anexos são todo e qualquer documento que seja compatível ao trabalho. Além disso, ele tem a função de complementar os pontos discutidos no trabalho.

Ou seja, os anexos servem para ilustrar e fundamentar de forma mais aprofundada o trabalho acadêmico. E sua apresentação deve ser em letra maiúscula (ANEXO) seguido de letras (A, B, C) e os respectivos títulos.

Finalizando a parte dos elementos pós textuais, temos o índice. O índice deve ser elaborado conforme a NBR 6034 e não deve ser confundido com o sumário, que faz parte dos elementos pré textuais.

Contudo, o índice é uma listagem de palavras ou frases, que podem ser organizadas conforme algum critério de escolha. E esta lista serve para facilitar a localização destes termos dentro do trabalho acadêmico.

Saiba também sobre :

Elementos são contados e numerados?

Para fins de numeração e contagem de páginas, também são considerados. Aliás, em um trabalho acadêmico, apenas a capa não entra na contagem e nem na numeração de página.

Quanto a questão da numeração, é interessante saber que todas as páginas são contadas (com exceção da capa). No entanto, a numeração é feita apenas nas páginas em que não contenham os títulos principais.

Confira aqui passo a passo sobre pós-textuais

pós textuais

Para que servem?

Os elementos pós textuais servem como complementação dos elementos textuais. Ou seja, eles serão a finalização e embasamento do trabalho acadêmico.

Assim, todas as informações que possam auxiliar a entender melhor a pesquisa, deverá constar nos elementos pós textuais. Pois é nesse momento que o aluno demonstra o embasamento teórico utilizado.

Além disso, os elementos pós textuais indicam a organização dos documentos pesquisados, bem como a seriedade da pesquisa efetuada. Sem esses elementos, fica impossível construir um trabalho científico.

Os elementos pós-textuais do artigo científico e do projeto científico

Existem pequenas diferenças entre os elementos pós textuais de um artigo científico e de um projeto científico. Em um artigo científico, teremos referências, glossário, apêndice, anexos e índice.

Entretanto, já no projeto científico teremos apenas as referências bibliográficas (obrigatório), o apêndice e os anexos (opcionais). Assim, não há necessidade de colocar o glossário e o índice no projeto científico.

Categorias
Regras ABNT

Quais são os elementos textuais do TCC: Como fazer

No momento de elaboração do TCC, o aluno precisa estar atento a diversas regras. Além da construção da teoria, é necessário saber a disposição de todos os elementos que compõem o trabalho. Saiba sobre os elementos textuais do TCC.

O Trabalho de Conclusão de Curso – TCC – é o ponto de fechamento em uma graduação. E neste momento muitos alunos se deparam com uma série de regras e normas quanto a estruturação e formatação de seus trabalhos.

Assim, no que tange a parte de elementos textuais do TCC, sua estrutura é composta de três itens. Contudo, é necessário ter muita atenção no momento de estruturá-los para não prejudicar toda a pesquisa feita.

O que são os elementos textuais do TCC

Os elementos textuais do TCC é o componente primordial de um trabalho acadêmico. É nele que consta toda a pesquisa realizada pelo aluno. Pois ali está todo o conhecimento científico produzido.

Claro que a formatação de um TCC é importante. Assim como a boa escrita tem alta relevância na composição da nota. No entanto, são estes elementos que demonstram todo o aprendizado do aluno.

Assim, os elementos textuais de um TCC são: introdução, desenvolvimento e conclusão. E essa estruturação é convencionada pelas Normas da ABNT, mais especificamente pela NBR 14724.

elementos textuais

Quais são os elementos textuais do TCC: Como fazer

Conforme citado anteriormente, os elementos textuais do TCC são: introdução, desenvolvimento e conclusão. Mas nesse momento pode bater aquela dúvida de como fazer cada uma destas partes.

Apesar de estar dividido em três segmentos bem definidos, a parte do desenvolvimento é subdividido em subcapítulos. Isso acontece para haja um melhor entendimento da pesquisa realizada.

abnt-normas_elementos textuais

Introdução

Então, os elementos textuais do TCC iniciam com a introdução. Assim, a introdução serve para delimitar o tema do trabalho, bem como mostrar sua contextualização.

Nessa redação inicial, é recomendado que o aluno faça um texto apresentando a visão global de seu trabalho. Além disso, devem ser trazidos os objetivos, tanto geral quanto específicos da pesquisa realizada.

Além disso, questões como justificativa e metodologia também são consideradas neste ponto do trabalho. A introdução é construída em um texto conciso, numa conversação clara, direta e sem muito aprofundamento.

Em relação a justificativa, o aluno deverá apontar os motivos que o levaram a construção deste estudo. Também deverá indicar a relevância do assunto estudado em prol da sociedade ou comunidade científica.

No que tange os objetivos, eles se subdividem em: objetivo geral e objetivos específicos. O objetivo geral é elaborado de forma a responder ao problema de pesquisa e, consequentemente, dizer ao que se propõem o projeto.

Já os objetivos específicos são de caráter mais concreto. Ou seja, dão o embasamento necessário para o atingimento do objetivo geral. Na escrita desses objetivos devem ser empregados verbos no tempo infinitivo.

Quanto à metodologia, o aluno deverá informar quais foram os métodos científicos utilizados. Isto é, quais as ações empregadas durante a pesquisa para atingir os objetivos propostos.

Assim, a metodologia pode incluir diversas ferramentas, como questionários, entrevistas, pesquisas bibliográficas. Também entra nesta pauta a forma de tratamento e a análise dos dados coletados

Desenvolvimento

De acordo com a ABNT NBR 14724, o desenvolvimento é o elemento fundamental do TCC. Pois nele consta toda a exposição do assunto estudo, de forma detalhada e ordenada.

Esta etapa do trabalho divide-se em seções e subseções, e podem variar conforme a abordagem do tema estudado. Assim, será explanado todo o processo de estudo do problema de pesquisa apontado.

Também deverão ser apontadas as hipóteses do trabalho, bem como das técnicas empregadas para a obtenção dos dados. Dessa forma, é possível verificar a efetividade da metodologia escolhida.

De forma geral, o desenvolvimento representa os capítulos do TCC, reunindo títulos e subtítulos em harmonia com o tema escolhido. E essa apresentação dever ser feita de forma ordenada, numa construção lógica.

Além da construção textual, é no espaço do desenvolvimento que o aluno pode utilizar a criação de ilustrações. Entre elas, pode estar: quadros, gráficos, tabelas, imagens, fotos, etc.

No entanto, imprescindível lembrar que é nestes elementos textuais que se faz a revisão da literatura. Ou seja, traz-se à luz do conhecimento a discussão de autores sobre o tema abordado, por meio de uma análise crítica e reflexiva.

Conclusão

E para finalizar os elementos textuais do TCC, têm-se a conclusão. Também conhecida como considerações finais. É ela que faz o fechamento do trabalho, alinhavando toda a construção do conhecimento.

Na conclusão, o aluno deve apontar se o estudo atingiu ou não seus objetivos e quais as suas limitações. Assim, é possível ponderar sobre as descobertas realizadas, bem como apontar uma continuidade futura do mesmo estudo.

A recapitulação do trabalho deve ser feita de forma breve, porém profunda. Contudo, deve ser evitado o uso de afirmações absolutas. Ou seja, deve-se deixar espaço para futuras possibilidades.

A construção da conclusão deve ser feita de forma autoral, sem a utilização de citações de outros autores. Pois é a finalização do seu trabalho e quanto ele foi colaborativo para a sociedade como um todo.

Também podem ser apontadas as dificuldades encontradas durante o estudo e que possam ter limitado alguns objetivos. Assim, o aluno tem plenas condições de construir excelentes elementos textuais.