Categorias
Dicas TCC

Qual a diferença entre monografia, dissertação e uma tese?

Você que está ingressando na vida acadêmica deve se preparar para lidar com várias horas de estudo e pesquisas intermináveis. Confira tudo sobre a diferença entre monografia, dissertação e uma tese?

Para conquistar a tão sonhada evolução acadêmica, é necessário muito esforço e dedicação.

Porém, sempre surge uma dúvida bastante frequente sobre os termos monografia, dissertação e tese. Esses três são trabalhos de conclusão de curso, mas você sabe a diferença entre eles?

Monografia

A monografia é um trabalho de conclusão de curso exigido pelas instituições de ensino para aqueles que buscam uma graduação. Também inclui especializações e MBA, que é exclusiva da área de administração.

É o primeiro passo na hierarquia acadêmica, por isso o nível de complexidade não é tão elevado quanto as demais. Para fazer uma monografia, inicialmente é preciso escolher um tema de pesquisa.

Feito isso, o passo seguinte é determinar um objetivo para o tema escolhido, um problema e uma solução. Com esses tópicos definidos, é hora de pesquisar profundamente sobre o tema.

Ou seja, buscar outros trabalhos já publicados para usar como citações. Dessa forma você terá embasamento sobre as ideias que irá expor. Isso é uma revisão bibliográfica, a principal característica de uma monografia.

Você se baseia em outras obras e autores para legitimar seu ponto de vista. Ao escolher um assunto, opte por um que seja atual e relevante para a sociedade.

Dissertação

Enquanto a monografia é uma validação da graduação, a dissertação é a validação do mestrado. Esse é o passo seguinte na hierarquia do mundo acadêmico que tem duração de 24 meses.

Assim como na monografia, na dissertação você escolhe um tema para sua pesquisa. Não precisa ser algo inédito, mas é necessário que acrescente algo novo, um diferencial ao tema.

É um trabalho elaborado, que requer mais do que a compilação de várias obras para embasamento de ideias. É preciso materiais de pesquisa de campo, como coleta de dados, entrevistas, dentre outros.

Com a finalização da dissertação, a etapa seguinte é a defesa ou apresentação da mesma diante de uma banca examinadora. Esta banca é composta por três especialistas no assunto que irão questioná-lo sobre seu trabalho. Que são as diferença entre monografia, dissertação e uma tese?

Confira abaixo algumas dicas básicas sobre a elaboração de uma dissertação:

  • Crie uma rotina de pesquisa e escrita diárias;
  • Seja minucioso com as regras da ABNT;
  • Fique atento a estrutura obrigatória da dissertação;
  • Organize-se para não entregar nada fora do prazo.

diferença entre monografia

Tese

É o trabalho acadêmico de conclusão de um doutorado, com duração total de 48 meses. Após sua conclusão, ela é apresentada a uma banca composta por cinco especialistas. Com a tese aprovada, o título de doutor é concedido.

É um trabalho acadêmico bastante árduo, já que a ideia apresentada precisa ser original, algo nunca antes abordado. Requer um embasamento científico e acadêmico bastante aprofundado.

Vale ressaltar que o mundo acadêmico é muito exigente na citação de suas fontes. Por isso, fique bastante atento ao referencial teórico e as devidas formatações da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

Ainda de acordo com a ABNT, alguns conteúdos estruturais são obrigatórios em uma tese, como:

  • Capa;
  • Folha de rosto;
  • Ficha catalográfica;
  • Folha de aprovação da banca;
  • Resumo na Língua Portuguesa;
  • Resumo em inglês;
  • Sumário;
  • Introdução;
  • Desenvolvimento;
  • Conclusão;
  • Referências bibliográficas

Conclusão

As semelhanças entre as diferença entre monografia, dissertação e tese são muitas. Todas são consideradas trabalhos de conclusão de curso. A estrutura e o tipo de linguagem clara e objetiva também são marcas registradas nas três.

Então onde está a diferença? Na chamada hierarquia acadêmica. O primeiro passo na evolução acadêmica de um aluno é a graduação, logo em seguida, o mestrado e por fim, o doutorado.  Em resumo, a diferença está no nível de complexidade e elaboração de cada trabalho.

Categorias
Redação

Dissertação Expositiva: Características, exemplos e dicas

Apesar da dissertação expositiva não ser tão popular e tão solicitada nas provas pelo Brasil. Ela pode estar presente em concursos e vestibulares por ser simples de se redigir e possuir uma estrutura fixa, facilitando as correções.

Essa redação tem dois tipos de elaboração, a argumentativa e a expositiva, sendo que ambas têm o mesmo molde. Porém elas são diferentes no que buscam passar para o leitor, tendo estilos distintos.

A dissertação expositiva tem como característica mais marcante a de informar o leitor através da exposição de um determinado assunto ou tema. Dessa forma ela deseja fazer com que o leitor conheça o ideal, mas não necessariamente concorde com ele. Bem diferente do texto dissertativo argumentativo, em que há a defesa de uma ideia, uma opinião ou ponto de vista, fazendo com que o leitor seja convencido e para isso são usados os argumentos.

dissertação expositiva

Como fazer uma dissertação expositiva

O artigo tem o objetivo de informar sem assumir uma posição sobre o que retrata. Assim, é preciso seguir algumas regras e habilidades para que ele seja adequado a sua função.

  • É preciso conhecer o tema abordado para conseguir passar uma visão clara e objetiva sobre o mesmo, sem se deixar levar por emoções;
  • Entendimento gramatical, para criar boas construções sintáticas, que possuam coerência e coesão;
  • Linguagem formal, porém, sem preciosismo, ou seja, escrever de modo culto, mas sem palavras muito difíceis ou desconhecidas;
  • Ser impessoal, a fim de manter a ordem de apenas expor os fatos.

A dissertação expositiva deve ser sobretudo fácil de se entender. Dessa forma, se torna prática e cumpre a função de levar o conhecimento e passar a mensagem.

Em provas de vestibulares esse tipo não é tão comum quanto a argumentativa já que não expressa uma opinião. Porém se você está se preparando para esse evento, é muito importante entender os dois vieses.

Estrutura da dissertação expositiva

Assim como carta, rascunho e síntese a dissertação expositiva tem uma receita na hora de ser montada. Esse molde é dividido em três partes que devem ser muito claras entre si.

Porém é preciso que elas tenham uma transição natural entre si. Assim o leitor não vê o momento claro onde um tópico acaba e se inicia outro. Confira a estrutura a ser seguida.

Introdução

Deve estar nos primeiros parágrafos e apresentar o problema, mostrando como será trabalhado ao longo do texto;

Desenvolvimento

Onde deve ser expresso a parte principal do texto, apresentando um ponto de vista e expondo tudo que é sabido sobre o mesmo;

Conclusão

A parte final do texto, onde apresenta-se um término de sua apresentação, arrematando e resumindo tudo que foi dito ao longo dele.

Exemplos de texto expositivo

“Os Relatórios das Organizações das Nações Unidas (ONU) sobre a gestão e desenvolvimento dos recursos hídricos alertam para a preservação e proteção dos recurso s naturais do planeta, sobretudo da água. Sendo assim, as estatísticas apontam para uma enorme crise mundial da falta de água a partir de 2025, de forma que atingirá cerca de 3 bilhões de pessoas, e que pode provocar diversos problemas sociais e de saúde pública.

Um dos maiores problemas apresentados pela ONU é a “escassez de água” que já atinge cerca de 20 países no mundo, ou seja, 40% da população do planeta. Os estudos completam que a água doce do planeta está em risco visto as mudanças climáticas registradas nas últimas décadas.

Exemplo de texto expositivo

Dicas para uma boa dissertação expositiva

Quase sempre começar o texto é a parte mais difícil, pois o tom usado no início deve ser mantido. Pensando nisso separamos aqui algumas estratégias que podem lhe ajudar nesse percurso.

1 – Questionar o tema e respondê-lo ao longo da redação.

Dessa forma você desperta a curiosidade do leitor e ajuda-o a resolvê-la ao longo da dissertação expositiva. O lado interessante é que mais de uma pergunta pode ser levantada é solucionada com sua explicação.

2 – Mostrar os dois lados

Principalmente se tratando de um texto que deve expor algo é importante que você saiba mostrar todas as faces do tema. Para isso você pode iniciar falando sobre um espectro mais comum e aí questioná-lo.

3 – Ação e reação

Sim, a terceira lei de Newton pode enriquecer muito seu texto. Para isso você precisa saber criar uma boa conexão entre causa e consequência.

Mostre como um ponto de vista pode afetar o aspecto geral do tema. Porém lembre-se que se tratando de uma dissertação expositiva é preciso fazer isso com cuidado para não tomar um lado na discussão.

Conclusão

Vimos nesse artigo que a dissertação expositiva é uma redação que serve para expor os pontos de um fato. Assim ela se difere da argumentativa por não tentar convencer o leitor de algo e sim mostrar-lhe um ponto de vista.

Categorias
Dicas TCC

Dissertação argumentativa: Característica, estrutura e dicas

Sobre a dissertação argumentativa podemos afirmar que se trata de um tipo de redação muito pedida no Enem/vestibulares e concursos, a dissertação argumentativa é uma modalidade de texto importante de se conhecer. Por isso, trouxemos aqui algumas de suas características e dicas de como escrevê-la.

Características principais da dissertação argumentativa:

Como se trata de uma dissertação, esse tipo de redação possui uma estrutura que deve ser seguida. Ela passa pelos seguintes pontos:

  • Introdução: para iniciar o assunto;
  • Desenvolvimento: explicação do assunto;
  • Conclusão: ponto final da discussão que você conduziu.

Portanto, com essas características é possível escrever uma dissertação expositiva. Para que se transforme em uma dissertação argumentativa é necessário que se defenda uma tese.

A tese nada mais é do que o seu ponto de vista sobre o assunto em questão. Seja ele positivo ou negativo, é essencial deixá-lo bem claro ao longo do texto. Caso contrário, a redação volta ao modelo expositivo e foge da proposta.

Esse tipo de texto nos vestibulares e concursos, na maioria das vezes, tem o espaço de 30 linhas para ser construída. Assim, nos cursinhos, escolas e aulas de redação, os professores costumam ensinar a formação dele em 4 parágrafos.

Estrutura da Dissertação argumentativa

Introdução

O primeiro parágrafo é a introdução e nele ainda não se apresentam argumentos para sustentar sua tese. O ideal é que nele você faça uma breve contextualização do tema e apresenta apenas o problema em questão.

Desenvolvimento

Os segundo e terceiro parágrafos fazem parte do desenvolvimento. Nesse momento do texto, após você ter apresentado a premissa do tema, é o momento de argumentar a sua tese.

Nesses parágrafos do meio do texto, é extremamente importante trazer dados comprovados para sustentar suas ideias. O ponto aqui é convencer o leitor da sua linha de raciocínio, escrevendo um texto convincente.

Conclusão

Por fim, a conclusão, como já diz o nome, conclui a discussão proposta. Nela, é importante “amarrar” seu texto como um todo e provocar uma reflexão no leitor. Uma conclusão bem escrita traz todo o impacto final que a redação precisa.

Em alguns vestibulares como o Enem, a conclusão vem acompanhada de uma proposta de intervenção. Assim, no último parágrafo, ao invés de apenas concluir a reflexão, você apresenta uma ideia para solucionar o problema.

Então você precisa finalizar seu texto com uma proposta completa – com agente, ação e detalhes – para, não necessariamente resolver completamente, mas amenizar o problema do tema.

Veja outros artigos que podem te ajudar no nosso blog:

Dissertação argumentativa: o que é, como escrever e mais!

Dicas para sua dissertação argumentativa

Para uma redação que ganhe ainda mais pontos, existem algumas dicas que podem te ajudar. Para cada parágrafo há uma estratégia diferente e conhecê-las é uma mão na roda!

Referencias ou citações

É comum que seja difícil iniciar o texto, por isso, na introdução tente sempre trazer uma referência externa sobre o assunto. Uma série de TV, citação de um autor conhecido, um, dado estatístico, um livro, um filme ou qualquer outra coisa que te remeta esse tema.

Caso a redação seja para algum tipo de concurso público, ainda é possível trazer referências externas. Porém, é importante ter uma abordagem que combine com a ocasião.

Já nos parágrafos de desenvolvimento, a aposta é nos dados de pesquisa. Mesmo que você não se lembre de nenhum no momento, sempre existem os textos motivadores para te dar algum norte sobre o assunto.

No desenvolvimento, também, você pode utilizar frases célebres de filósofos para te ajudar. Nesse caso, você terá que memorizar algumas frases coringa que funcionem com diferentes tipos de tema, para ficar mais fácil.

Propostas

Por fim, para a conclusão existem duas dicas. A primeira é se a redação não pedir proposta de intervenção. Nesse caso, a dica é imaginar que a conclusão vai fazer com que o leitor fique com o tema na cabeça depois, refletindo.

A segunda, portanto, é caso a redação necessite de proposta de intervenção. Nesse caso pense sempre em responder essas questões: qual a ação precisa? Quem fará? Como fará? Quais os efeitos dela? Existem mais detalhes sobre?

Atente-se à lingua portuguesa

Se fizer uma redação com bons argumentos, com toda estrutura necessária, mas o que vai adiantar se conter erros de português? Este é um ponto que não pode errar, caso queira fazer uma boa redação.

A gramática é muito importante para uma boa redação, caso fique com dúvidas em relação a alguma palavra, tente substitui-la por sinônimos, tente não colocar palavras que pode parecer bonitas, rebuscadas, mas que você não saiba o significado, às vezes o tiro pode sair pela culatra.

Ou dica importante é se atentar a nova ortografia, muitas mudanças ocorreram e muita gente não sabe, e fazer uma redação, um TCC, qualquer texto acadêmico sem estar de acordo à nova ortografia é um tiro no pé.

Exemplos de texto dissertativo

Nada melhor para fazer um bom texto dissertativo argumentativo é ver exemplos e modelos, principalmente das melhores redações, assim terá noção da estrutura, como fazer citações, como apresentar propostas e vê que não é bicho de sete cabeças, ela pode ser mais simples do que imaginamos. Confira aqui alguns exemplos de dissertações

Agora que você já tem as dicas para cada parte da sua dissertação argumentação, é só praticar bastante até chegar o dia do seu vestibular ou concurso!

Categorias
Dicas TCC Regras ABNT

Como Fazer um Artigo Científico? Exemplo e Modelo

Um artigo científico é uma modalidade de trabalho acadêmico que é elaborado para atender algumas finalidades. Além disso, é divulgado por meio dos periódicos científicos das variadas áreas do conhecimento.

Neste artigo, vamos explicar como elaborar um artigo científico tanto em seus aspectos de estrutura textual quanto de formatação acadêmica.

Qual a finalidade de um Artigo Científico

Uma definição de um artigo científico é dada pela NBR 6022, da ABNT, como sendo uma publicação que tem por objetivo divulgar e discutir ideias, técnicas, métodos, processos e resultados de uma determinada área do conhecimento.

Neste sentido, o artigo científico tem por finalidade os seguintes pontos:

  • Apresentar os resultados de uma pesquisa e suas conclusões, permitindo a validação da comunidade científica;
  • Ampliar o acesso ao conhecimento por meio da divulgação e democratização das informações;
  • Permitir que um autor divulgue as suas pesquisas realizadas em programas de pesquisa científica.

Podemos entender um artigo científico como um relatório de divulgação de um trabalho realizado. Além disso, este trabalho pode constituir-se como uma revisão bibliográfica ou uma apresentação dos resultados de novas pesquisas.

Saiba também:

Como estruturar um Artigo Científico

Em termos gerais, a estrutura de um artigo científico tem um formato básico. No entanto, este formato sofre algumas alterações em função de:

  • Especificidades de cada área do conhecimento;
  • Critérios de publicação de cada periódico.

Como formatar um Artigo Científico

Vamos apresentar como realizar a formatação de um artigo científico tendo por referência a NBR 6022. Pois é utilizada pela maioria das publicações com algumas pequenas alterações.

modelo de apresentação artigo cientifico1

Podemos considerar que um artigo deve ser formatado tendo em vista os seguintes pontos, de acordo com a parte do trabalho a que corresponde:

Elementos Pré-textuais do Artigo Científico

Conforme a NBR 6022, da ABNT, os itens a serem apresentados são:

Título e subtítulo

Estes devem constar como primeiro elemento de abertura do texto do trabalho.  Além disso, ambos devem ser diferenciados de forma tipográfica e/ou separados por dois pontos.

Nome do Autor

Neste item, você deve indicar os autores do trabalho. Como também apresentar um breve currículo para destacar as suas qualificações na área do conhecimento do artigo científico.

Resumo

É um elemento de apresentação obrigatória que pode atingir no máximo de 250 palavras. Deste modo, deve ser elaborado a partir de uma sequência de frases objetivas e concisas de acordo com a NBR 6022.

Palavras-chave

Estas palavras devem ser colocadas depois do resumo, sendo separadas por ponto umas das outras.

Elementos Textuais do Artigo Científico

Conforme a NBR 6022, da ABNT, os itens a serem apresentados são os seguintes:

Introdução

Esta é a parte de início do artigo cientifico, tendo de apresentar o assunto a ser tratado, os objetivos da pesquisa, o problema a ser resolvido, metodologia utilizada, dentre outros itens expostos no

Desenvolvimento

Esta parte é contém a exposição do assunto, de forma ordenada e detalhada. Como também deve ser dividida em seções e subseções, tendo em vista a melhor abordagem do tema e da metodologia.

Conclusão

Nesta parte devem ser apresentadas as conclusões que foram obtidas com o desenvolvimento do trabalho. Neste sentido, é importante destacar que na conclusão não é o momento de apresentar dados novos.

Pós-textuais

Conforme a NBR 6022, da ABNT, os itens a serem apresentados que estão relacionados ao título, subtítulo, resumo e palavras-chave em uma língua estrangeira seguem a mesma orientação para a língua do artigo.

Vamos apresentar um esclarecimento para os outros elementos dessa parte pós-textual, que são:

Notas explicativas

No que se refere as notas é preciso esclarecer que estas devem ser numeradas com algarismos arábicos, sendo uma sequência única e consecutiva para todo o artigo.

Inclusive, as notas não devem ser iniciadas com uma nova numeração a cada página. Podemos apresentar o seguinte exemplo:

  • No texto, deverá estar da seguinte forma:

Os pais acabam tendo de se confrontarem com duas possibilidades para a vinculação: profissional ou escolar1.

  • Na nota explicativa, deverá ser colocada da seguinte forma:

1 Em relação à questão da vinculação profissional ou escolar ver também Morice (1996, p. 269-290).

Referências

As referências fazem parte dos elementos obrigatórios e deve ser elaborada conforme norma específica, ou seja, NBR 6023.

Glossário

É um elemento de caráter opcional e deve ser elaborado em ordem alfabética, se for o caso de sua utilização.

Apêndice

É também um elemento opcional, tendo de destacar que se constitui da parte do trabalho que foi elaborada pelo próprio pesquisador. Cada apêndice deve ser identificado por letras maiúsculas consecutivas. Observe o exemplo:

  • APÊNDICE A – Avaliação numérica de células com quatro dias de evolução;
  • APÊNDICE B – Avaliação de celulares musculares em estado evolutivo.

Se acontecer de todas as letras terem sido utilizadas, você pode dobrar as letras maiúsculas e dar continuidade em sua numeração dos anexos.

Anexos

É uma parte do trabalho que também é opcional e para sua numeração deve seguir a mesma dada para o apêndice.

Formatação geral do artigo científico

Fonte: Arial
Tamanho: 12 (exceto: notas de rodapé, citações de mais de três linhas, legendas e fontes de ilustrações e tabelas).
Formato: Se impresso, utilizar papel no formato A4 (21 cm x 29,7 cm);
Cor da fonte: para impressão do texto deve ser preta, com exceção das ilustrações que podem ter outras cores;
Margem: As margens devem seguir as dimensões: 3 cm (esquerda e superior) e 2 cm (direita e inferior);
Parágrafo: Para o parágrafo, sugere-se utilizar a partir da margem esquerda, no recuo da primeira linha do parágrafo: 1,25 cm (equivalente a 1 Tab).
Espaçamento: Espaço simples entre linhas em todo o artigo

Baixe aqui a NBR 6022

Categorias
Regras ABNT

Lista de Figuras ABNT para TCC: O que diz a norma?

Lista de figuras ABNT para TCC: O que diz a norma? Saiba aqui todas as regras sobre o assunto. Continue lendo para não errar na construção do seu TCC.

Ao montar um trabalho acadêmico, é normal nos depararmos com várias dúvidas sobre as regras necessárias. Uma das dúvidas mais frequentes, é sobre como usar e como referenciar figuras no padrão ABNT. É importante salientar que a lista de figuras, ilustrações ou tabelas é um elemento pré-textual opcional, mas apesar de ser opcional é importante para o enriquecimento do seu trabalho acadêmico.

Primeiro de tudo, é importante saber quais elementos são considerados figuras, pois é muito comum que haja confusão. Segundo as normas da ABNT, para um elemento ser considerado figura ele deve ser:

  • Formado por linhas horizontais e verticais;
  • Fechado em suas bordas;
  • Referência de conteúdo qualitativo para o texto.

Isso definido, o autor deve fazer legendas para as imagens utilizadas e uma lista das figuras no formato ABNT. Para ajudar, fizemos uma lista com as formatações necessárias para as duas formas.

lista de figuras ABNT tcc

Formatação das legendas das imagens

Logo após inserir uma figura no texto, é necessário adicionar sua legenda no corpo do texto. Elas devem seguir uma formatação de acordo com as normas de como indicar figuras no modelo ABNT, que são as seguintes:

Acima da imagem

  • Tipo da imagem: se é um desenho, mapa, fotografia, etc.
  • Número: de acordo com a sua posição no corpo do texto
  • Título: do que se trata a figura
  • Fonte no tamanho 10

Abaixo da imagem

  • Fonte: de onde é a imagem
  • Data: de quando é a origem da imagem
  • Letra no tamanho 10
  • Espaçamento simples

Formatação da lista de figuras ABNT

Portanto, a partir de 10 imagens, o autor deve fazer uma lista de todas as figuras utilizadas no trabalho.  Essa lista deve ficar entre o resumo e o sumário e antes da introdução.

Veja também como fazer lista de tabelas.

Cada item da lista de figuras deve aparecer da seguinte forma: tipo da imagem, número, travessão e seu título. Portanto, muito parecido com a legenda que vai no topo da imagem. Além disso, é importante se atentar à formatação:

  • Fonte Arial
  • Título: negrito, maiúsculo, centralizado e com tamanho 14
  • Corpo do texto: tamanho 12
  • Espaçamento 1,5

Elaboramos também um exemplo para que você consiga realizar sua lista de figuras ABNT sem maiores problemas. Fique atento a todos os detalhes, desde o nome ao espaçamento!

Vídeo como formatar a sua lista

Exemplo de lista de figuras ABNT

lista de figuras TCC

Considerações Lista de Figuras ou Ilustrações

Elaborada de acordo com a ordem apresentada no texto, com cada item designado por seu nome específico, travessão, título e respectivo número da folha ou página. A expressão LISTA DE FIGURAS OU ILUSTRAÇÕES deve figurar de forma centralizada no alto da página em letras maiúsculas. Ao adicionar mais de um tipo de ilustração na lista, estes devem ser ordenados e apresentados separadamente, como observado na imagem ao lado. Quando necessário, recomenda-se a elaboração de lista própria para cada tipo de ilustração (desenhos, esquemas, fluxogramas, fotografias, gráficos, mapas, organogramas, plantas, retratos e outras).

lista de figuras abnt

Categorias
Dicas TCC Regras ABNT

Folha de aprovação do TCC nas normas da ABNT 

A folha de aprovação é um dos elementos pré-textuais mais importantes do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Como também gera algumas dúvidas para a sua elaboração em termos de quais itens devem ser apresentados.

Neste artigo, vamos explicar o que é a folha de aprovação de acordo com as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Como também vamos apresentar um modelo e um exemplo desta folha.

O que é a folha de aprovação

A norma NBR 14.724, que trata da apresentação de trabalhos acadêmicos, define que a folha de aprovação é um elemento obrigatório. Como também deve conter os elementos essenciais para a aprovação do trabalho.

Este aspecto é de grande importância porque nesta folha é que estão as informações sobre a data e os membros da banca que aprovaram o trabalho.

[orbital_cluster categories=”2,17″ order=”DESC” orderby=”rand” postperpage=”3″ featured=”0″]

Como fazer folha de aprovação nas normas ABNT

A folha de aprovação por ser um elemento obrigatório e pré-textual deve ser inserida logo depois da folha de rosto. Os itens que fazem parte desta folha e devem ser apresentados nesta ordem, são os seguintes:

  • Nome do autor do trabalho;
  • Título do trabalho e subtítulo, se for o caso;
  • Natureza, que consiste na especificação do tipo do trabalho, objetivo, nome da instituição, área de concentração;
  • Data de aprovação;
  • Nome, titulação e assinatura dos componentes da banca examinadora e instituições a que pertencem.

É preciso destacar um detalhe muito importante a respeito desta folha no TCC. Quando da formatação a data de aprovação e as assinaturas dos membros da banca examinadora devem permanecer em branco ou preenchidos por linhas.

Na data da defesa do TCC, o autor deverá levar uma folha de aprovação impressa para ser datada e assinada pelos membros da banca, caso o trabalho venha a ser aprovado.

Depois, quando da encadernação final em capa dura está folha datada e assinada deve ser anexada logo após a folha de rosto. Pois é a comprovação da aprovação do trabalho, que deve ser apresentada com o material publicado.

folha de aprovação

Formatação

A formatação da folha de aprovação segue os critérios especificados para os elementos pré-textuais conforme a NBR 14.724. Desta forma, deverá ser formatada utilizando os seguintes critérios:

  • Digitação em cor preta, em folha A4, iniciando no anverso da folha;
  • Margens superior e esquerda de 3 cm e inferior e direita de 2cm;
  • Fonte tamanho 12 e espaçamento de 1,5 entre as linhas;

É importante destacar duas observações a respeito do espaçamento entre linhas para elaboração desta folha.

O espaçamento simples, ou seja, o espaço 1,0 deve ser utilizado para a formatação do item de Natureza (tipo do trabalho, objetivo, nome da instituição a que é submetido e área de concentração).

E estes mesmos itens devem ser alinhados do meio da mancha gráfica para a margem direita. Por isso, é preciso esclarecer que a página da norma contém uma mancha gráfica centralizada com a sigla ABNT.

Ou seja, é para considerar o meio desta mancha para inserir o posicionamento dos elementos indicados. Neste sentido, corresponde a colocar os itens em torno de 7 cm da margem esquerda.

Normas ABNT para trabalho acadêmico: Guia completo para TCC

Modelo e exemplo da folha de aprovação

Vamos a seguir apresentar um modelo já elaborado para você ter uma visualização de como deve ser a apresentação final da folha de aprovação.

Exemplo

João Antônio da Silva

 

 

OS CAMINHOS DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA:
avaliação crítica da escola pública no país

 

Dissertação apresentada ao Curso de Pedagogia, da
Faculdade de Educação da UFMG, como requisito parcial
para obtenção do título de Mestre em Educação.

Área de concentração: Educação pública

BANCA EXAMINADORA

________________________________________________
Professor Dr. Túlio Menezes – FAE/UFMG

 

________________________________________________
Professor Dr. Renato Moura – FAE/UEMG

 

________________________________________________
Professor Dr. Ricardo Pedrosa – FAE/PUCMINAS

 

Belo Horizonte, 06 de outubro de 2020.

Agora, vamos colocar um exemplo de como fazer a folha indicando os locais que você irá preencher com os seus dados.

Exemplo de Folha de Aprovação a ser preenchido

Nome do Autor do Trabalho

 

TÍTULO DO TRABALHO: subtítulo     

 

 

_____________ apresentada ao Curso de ______________,
da ________________ ______________,
como requisito parcial para obtenção do título de ____________.

 

Área de concentração: _______________.

BANCA EXAMINADORA

________________________________________________
Professor Dr. _______________ – __________  (orientador)

________________________________________________
Professor Dr. _______________ – __________  (Membro)

________________________________________________
Professor Dr. _______________ – __________  (Membro)

 

____________, _____ de _________ de 2020.

Portanto, agora você já pode elaborar a sua folha de aprovação do seu TCC. Tenha certeza que seguindo as nossas orientações, que estão de acordo com a norma da ABNT, a sua folha de aprovação será um sucesso.

Categorias
Regras ABNT

Ficha catalográfica: o que é e como fazer

Entenda o que é a ficha catalográfica para TCC e saiba como preparar a sua Catalogação na Publicação.

Para você que está preparando o seu trabalho de conclusão de curso e quer saber o que é, para que serve e como preparar a ficha catalográfica do seu trabalho, então você veio ao lugar certo.

Neste artigo vamos tirar todas as suas dúvidas e te ensinar como preparar e formatar corretamente mais este elemento obrigatório do trabalho de conclusão de curso.

O que é a ficha catalográfica

O principal objetivo é apresentar as informações bibliográficas relacionadas com o trabalho que foi realizado.

Além disso, ele também trará outras informações que serão essenciais para que o seu trabalho seja catalogado e facilmente encontrado na biblioteca da sua universidade.

Neste elemento do seu TCC constarão informações como o título, nome do autor, universidade, quantidade de páginas, nome do orientador, ano do número do acervo da biblioteca da instituição.

Vale destacar que, por mais que nas normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) a ficha catalográfica conste como sendo um elemento obrigatório, algumas instituições de ensino tratam ela como sendo opcional.

Conforme a NBR 14724, é um elemento obrigatório. Deve ser disposta no verso da folha de rosto, centralizada, na parte inferior da folha e ter o tamanho padrão de 7,5cm x 12,5 cm.

Por isso é tão importante que você, além de saber o que a ABNT diz sobre cada um dos elementos do TCC, ter conhecimento também das normas da Universidade ou Faculdade que estuda.

É importante também que, caso o aluno tenha dificuldade de preparar a ficha catalográfica do TCC que ele se inspire em alguns modelos prontos, como o que apresentaremos ao final deste artigo, ou então que procure auxílio do bibliotecário(a) da universidade.

Saiba também sobre:

Partes da ficha catalográfica

Antes de começar a preparar a ficha catalográfica ou Catalogação na Publicação do seu trabalho de conclusão de curso, é fundamental ter algumas informações em mãos. A formatação conforme ABNT será explicada em detalhes a seguir.

As informações a seguir devem ser apresentadas nesta ordem na ficha catalográfica:

  • Autor: sobrenome(s) seguido de vírgula e nome;
  • Título e subtítulo, quando houver, separado por dois pontos, do trabalho realizado;
  • Tipo de trabalho: trabalho de conclusão de curso (cursos de graduação ou pós-graduação), dissertação (para mestrado) ou tese (para doutorado);
  • Nome completo do orientador do trabalho acadêmico;
  • Ano de defesa do trabalho;
  • Número total de páginas do trabalho;
  • Palavras relacionadas, também conhecidas como palavras-chave, ao conteúdo do trabalho de conclusão de curso. Elas serão utilizadas para catalogar o seu trabalho na biblioteca da universidade.

ficha catalográfica

Formatação da ficha catalográfica

Agora que você já sabe quais são as informações necessárias para preparar a sua ficha catalográfica, vamos à formatação.

A ficha deve ser impressa no verso da folha de rosto, na parte inferior da folha. Todas as informações deverão estar contidas dentro de um retângulo de tamanho 12,5 x 7,5 cm, centralizado na folha, com linha preta e de espessura padrão.

A fonte utilizada deve ser a Arial ou Times New Roman (dependendo da fonte utilizada no trabalho), em tamanho 12, sem nenhum tipo de formatação, com texto justificado e espaçamento simples.

Geralmente, antes da ficha catalográfica há uma frase que autoriza a reprodução da obra, deste que mencionada a fonte. Este texto deverá ter espaçamento de 1,5 e mesmo tipo de fonte e tamanho do restante do TCC. O texto deve ser o seguinte:

“Autorizo a reprodução e divulgação total ou parcial deste trabalho por qualquer meio convencional ou eletrônico, para fins de estudo e pesquisa, desde que citada a fonte.”

Exemplo ficha catalográfica

Veja a seguir alguns exemplos de ficha catalográfica que preparamos para te guiar na formatação e preparação do seu TCC ou monografia.
Exemplo de ficha.

modelo e exemplo ficha catalográfica

Souza, José Augusto de
S729c       Crianças com dificuldades de aprendizado: estudo nas escolas públicas da cidade de Juazeiro-BA / José Augusto de Souza. – Petrolina – PE, 2009.
xv, 140 f. : il. ; 29 cm.
       Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Psicologia) Universidade Federal do Vale do São Francisco, Campus Petrolina-PE, 2009.
     Orientadora: Profª. Drª. Maria de Azevedo.

Inclui referências.

       1. Crianças – Ensino. 2. Distúrbios da aprendizagem. 3. Escolas públicas – Juazeiro (BA).  I. Título. II. Azevedo, Maria de. III. Universidade Federal do Vale do São Francisco.
370.15

Modelo de ficha

modelo de ficha catalográfica

Gerador de ficha

Pode-se usar gerador automático de ficha catalográfica? Muitos estudantes fazem esta pergunta, normalmente o próprio aluno cria sua ficha, mas por outro lado, muitas instituições oferecem gerador da ficha automático, uma vez que, precisa utilizar algumas informações bibliotecárias como o  cutter, veja abaixo como fazer:

CUTTER
1ª letra em maiúsculo do sobrenome do autor seguido da sua numeração referente (incluído pela biblioteca) com a 1ª letra em minúsculo do título da publicação. Iniciar após a borda da margem esquerda.

Confira aqui sistemas geradores de fichas catalográficas disponibilizadas por instituições, assim basta ao aluno inserir as informações no formulário e depois será gerado um arquivo PDF, lembre-se que este documento deve estar no verso da folha de rosto, caso o trabalho acadêmico seja impresso.

Conclusão

Caso tenha mais dúvidas sobre seu TCC e precise de uma consultoria ou orientação especializada diga o que precisa no chat localizado ao seu lago direito ou clique no banner abaixo. Sabemos que este momento de elaboração do TCC, monografia, Tese, seja qual trabalho acadêmico for, necessita de todo cuidado e zelo, já que dele depende sua vida profissional, não é mesmo? Só com a conclusão do TCC e aprovação poderá finalizar esta etapa da vida acadêmica.

Espero que este artigo tenha sanado sua dúvida referente à ficha catalográfica, caso não tenha deixe um comentário e deixe sua dúvida.

Categorias
Regras ABNT

Quais os elementos pré-textuais: Modelo para baixar

Os trabalhos acadêmicos exigem a presença dos chamados elementos pré textuais. Esses elementos são os responsáveis pela organização e categorização do trabalho finalizado.

Os elementos pré textuais são compostos de itens obrigatórios e opcionais. Seja em um TCC ou em um artigo científico, o aluno precisa ter ciência da relevância destes itens em seus trabalhos.

Inclusive, os elementos prétextuais são descritos nas Normas da ABNT. Portanto, saber formatar esses elementos é imprescindível para o atingimento de boas notas.

O que são elementos pré-textuais

Os elementos pré-textuais são parte importante e indispensável de todo trabalho acadêmico. Esses elementos precedem o texto principal e são compostos de itens obrigatórios e itens opcionais.

Além disso, esses elementos tendem a facilitar a apresentação do trabalho acadêmico. Ou seja, sua finalidade é justamente fazer a identificação deste trabalho, bem como sintetizar os elementos textuais.

Assim, sua padronização torna mais funcional a busca e a classificação do trabalho. Lembrando que estes elementos, assim como outros, são regras estipuladas e padronizadas pela ABNT.

Quais são os elementos pré-textuais?

De acordo com as Normas da ABNT – NBR 14724 –, os elementos pré-textuais são compostos pelos seguintes itens:

Dentre estes itens alguns são considerados de uso obrigatório e outros de uso opcional. Apesar de não contabilizarem para a composição da nota, os itens opcionais tornam o trabalho mais harmonioso e completo.

Modelo dos elementos pre-textuais para baixar em Word

Baixe aqui e inclua suas informações:

Quais os obrigatórios

Conforme colocado anteriormente, os elementos pré-textuais são formados por diversos itens, tanto obrigatórios quanto opcionais. Dentre os itens de uso obrigatório, estão:

  • Capa: nome da instituição, curso, autor, título do trabalho, cidade e ano.
  • Folha de rosto: nome do autor, título do trabalho, breve descritivo do projeto, nome do orientador, cidade e ano.
  • Folha de aprovação: nome do orientador, nome dos examinadores e local para apontamento das notas.
  • Resumo: parágrafo único, de 150 a 500 palavras, fazendo um apanhado geral do trabalho, incluindo as palavras-chave.
  • Abstract: é o resumo, porém traduzido para a língua inglesa.
  • Sumário: é a enumeração dos capítulos e seções que formam o trabalho

elementos pré textuais

Quais os opcionais

Os itens opcionais que formam os elementos pré-textuais ficam a critério do aluno. Seu uso não implica na nota final do trabalho. No entanto, auxiliam na composição do trabalho com um todo.

  • Lombada: é um elemento de identificação, mais utilizado quando o trabalho for encadernado.
  • Errata: seu uso só é necessário quando houver algum tipo de correção.
  • Dedicatória: espaço para o autor escrever uma dedicatória para uma ou mais pessoas.
  • Agradecimentos: espaço para o autor escrever agradecimentos àqueles que o auxiliaram durante o curso.
  • Epígrafe: onde o autor pode citar alguém famoso e que tenha servido de base para o estudo.
  • Ilustrações: listagem de todas as imagens colacionadas no trabalho, em ordem de exibição.
  • Tabelas: listagem de todas as tabelas inseridas no trabalho, também em ordem de exibição.
  • Abreviaturas e siglas: listagem de todas as abreviaturas e siglas mencionadas ao longo do trabalho.
  • Lista de símbolos: listagem de todos os símbolos e seus respectivos significados.

Elementos pré-textuais artigos científicos

Em relação aos elementos pré textuais de um artigo científico, estes ficam condicionados a NBR 6022:2018. Ou seja, as Normas da ABNT que orientam a forma de apresentação destes elementos.

Assim, temos em um artigo científico a padronização destes elementos. No entanto, a divisão destes elementos não é feita por página. Mas sim, numa continuidade do início ao fim.

Então, os elementos pré textuais que compõem um artigo científico, são:

  • Título e subtítulo (se houver) no idioma do documento – obrigatório
  • Título em outro idioma – opcional
  • Autor (ou autores) – obrigatório
  • Resumo no idioma do documento – obrigatório
  • Palavras-chave no idioma do documento – obrigatório
  • Resumo em outro idioma – opcional
  • Palavras-chave em outro idioma – opcional
  • Datas de submissão e aprovação do artigo – obrigatório

Elementos pré-textuais do TCC

Em relação ao TCC – Trabalho de Conclusão de Curso –, os elementos pré-textuais são os mesmos da NBR 14724. Ou seja, são utilizados os mesmos elementos dos trabalhos acadêmicos.

  • Capa (obrigatório)
  • Lombada (opcional)

Estes dois elementos fazem parte

  • Folha de rosto (obrigatório)
  • Errata (opcional)
  • Folha de aprovação (obrigatório)
  • Dedicatória (opcional)
  • Agradecimentos (opcional)
  • Epígrafe (opcional)
  • Resumo (obrigatório)
  • Abstract (obrigatório)
  • Ilustrações (opcional)
  • Tabelas (opcional)
  • Lista de abreviaturas e siglas (opcional)
  • Lista de símbolos (opcional)
  • Sumário (obrigatório)

Veja abaixo passo a passo sobre todo esquema de estrutura do trabalho acadêmico

Estrutura do Trabalho Acadêmico

A estrutura do trabalho acadêmico é dividida em duas partes:

Parte externa e parte interna.

Essa divisão como pode ser observada na imagem abaixo tem como objetivo orientar os usuários
A parte externa compreende:

  • Capa
  • Lombada

A parte interna

  • Folha de rosto (obrigatório)
  • Errata (opcional)
  • Folha de aprovação (obrigatório)
  • Dedicatória (opcional)
  • Agradecimentos (opcional)
  • Epígrafe (opcional)
  • Resumo na língua vernácula (obrigatório)
  • Resumo em língua estrangeira (obrigatório)
  • Lista de ilustrações (opcional)
  • Lista de tabelas (opcional)
  • Lista de abreviaturas e siglas (opcional)
  • Lista de símbolos (opcional)
  • Sumário (obrigatório)
  • Introdução
  • Desenvolvimento
  • Conclusão
  • Referências (obrigatório)
  • Glossário (opcional)
  • Apêndice (opcional)
  • Anexo (opcional)
  • Índice (opcional)

elementos pré textuais

Formatação

Quanto a formatação dos elementos pré-textuais, algumas regras são genéricas para o trabalho inteiro. Entre elas, temos:

  • Folha A4
  • Margens: superior e esquerda 3 cm, inferior e direita 2 cm
  • Fonte: Arial ou Times New Roman
  • Cor da fonte: preto
  • Tamanho da fonte: 14 para títulos, 12 para texto comum.
  • Espaçamento entre linhas: 1,5 cm

Na capa, todos os elementos são dispostos de forma centralizada e em caixa alta. Além disso, pode-se utilizar Negrito em toda a capa. Já na folha de rosto, apenas o título do trabalho é colocado em caixa alta e no tamanho 14.

Contudo, o restante das informações pode ser em caixa baixa e no tamanho 12. Com exceção do breve descritivo que deve ser justificado, alinhado a 6 cm da margem esquerda, o restante dos elementos permanece centralizados.

Já na folha de aprovação, todos os elementos também devem ser centralizados. Entretanto, resumo e abstract devem ser justificados, sem recuo de primeira linha e com espaçamento simples entre linhas.

Quanto ao sumário, este deve ser justificado e com recuo de margem apenas nos subtítulos. Ou seja, os títulos principais iniciam na margem esquerda. E a numeração das páginas fica no limite da margem direita.

Categorias
Trabalho

Modelos de resenhas: Tipos e exemplos

A resenha é um tipo de texto pessoal e opinativo onde será abordado algum acontecimento cultural. Seja este fato um filme, peças teatrais, livros, etc. Por isso, para facilitar a sua construção, trouxemos alguns modelos de resenhas.

Entretanto, mesmo acertando na criação do texto, é de extrema importância prestar atenção à gramática. Assim como, alcançar um poder de síntese indo direto ao cerne da questão.

Principais modelos de resenhas

Adiante iremos mostrar os modelos de resenhas mais comuns. Sendo eles utilizados tanto em meios acadêmicos, quanto em resenhas jornalísticas profissionais. Portanto, são eles:

Modelo de Resenha de obra

Este modelo diz respeito a clareza dos conceitos principais do autor. A base do referido resumo se dará o tom exato desta resenha. Muito utilizado no meio acadêmico ou nas escolas.Modelo

Modelo de Resenha Crítica/ Opinativa

Nesta resenha seu conteúdo é bem detalhado, havendo assim um julgamento de valor, da forma e do objeto. Existirá uma procura maior do detalhe da obra. A fim do autor da resenha se basear e justificar a sua crítica.

O crítico em questão, poderá utilizar os textos de outros autores, que escrevam sobre o mesmo tema. A partir daí o analista conseguirá argumentar de forma positiva ou negativa sobre o assunto em questão.

Por fim, daremos um exemplo acerca da resenha de um livro. Desse modo será necessário que siga os seguintes passos propostos:

  • Leitura do texto na íntegra. Inclusive, analisar outros textos complementares que fale sobre a obra;
  • Fazer o resumo da obra com seus principais tópicos;
  • Dentre as principais ideias, se aprofundar mais em alguma questão;
  • Manifestar uma opinião verdadeira (descritiva) ou de valor (crítica);
  • Preparar a resenha contendo identificação de ambos os autores (obra/resenha).

Modelo de Resenha Temática

Será abordado diversos textos e autores que falem sobre um mesmo assunto. O intuito é fazer um paralelo das ideias propostas, emitindo uma opinião com as devidas indicações.

Modelo de Resenha sobre filmes

Tem como objetivo analisar teoricamente a relação dos personagens com o roteiro. Geralmente é a resenha menos pedida na universidade.

modelos de resenhas

Como fazer a resenha de uma forma correta

Sempre tenha em mente que, para se fazer modelos de resenhas da forma correta, é preciso desenhar objetivamente sua síntese. Bem como, intercale os assuntos principais entre a descrição e o seu ponto de vista.

Além do que, preste atenção aos erros ortográficos e semânticos do texto. Pois, o propósito é trazer uma resenha coesa, definindo uma melhor exposição do assunto tratado. Finalmente, será imprescindível que o referido texto contenha:

  • Clareza de ideias;
  • Concisão, ou seja, texto mais resumido;
  • Impessoalidade;
  • Objetividade;
  • Precisão na linguagem;
  • Propriedade do vocabulário;
  • Simplicidade.

Outros atributos que faz diferença na hora de concluir a sua resenha, é o uso das seguintes características citadas abaixo. Como por exemplo:

Cientificidade

Será o uso obtido nos trabalhos acadêmicos. A sua principal característica está no fato de haver cunho científico para embasar a sua teoria. Faça conforme as exigências da impessoalidade e objetividade, sendo preciso nos argumentos e explicações.

Comunicar o essencial

Analise o texto de forma cirúrgica, contrapondo as partes mais importantes da obra. Porém, atenda as perspectivas do leitor, informando as bases primordiais da produção. Sejam elas artística, cientifica ou literária.

Neutralidade

O julgamento na resenha deve ser imparcial, seja contrapondo os aspectos positivos ou negativos do texto. Tenha cuidado para não usar de paixão extrema ou ódio exacerbado no texto ou autor investigado.

Passo a passo para edição da resenha

Como falamos mais acima, os modelos de resenhas se subdividem em crítica, descritiva e temática. Cada qual terão etapas a serem construídas, formando um conjunto para a sua finalização. Portanto, teremos os seguintes aspectos:

Resenha Acadêmica Crítica

Por aqui, será importante se guiar detalhadamente nestes oito passos. O intuito é alcançar o objetivo final desta resenha, entregando o resultado ao seu leitor. Dessa maneira, teremos:

1 – Identificação da obra com dados bibliográficos;

2 – Apresentação da obra, com a síntese completa do texto;

3 – Definição da estrutura, com o número de páginas, divisão dos capítulos ou seções;

4 – Descrição do conteúdo, com 3 a 5 parágrafos do resumo geral;

5 – Observação crítica, ou a sua análise da obra;

6 – Recomendação do texto para seu público-alvo;

7 – Identifique o escritor, contando sobre outras obras e sua vida;

8 – Assinatura e identificação do resenhista.

Resenha Descritiva

Quando falarmos na resenha descritiva, tenha em mente os mesmos passos anteriores, tirando apenas a etapa 5. Por apenas haver a necessidade da descrição do texto.

Resenha do tema

Objetivamente, a resenha temática será apresentada com dados principais do tema, e o porquê da escolha do conteúdo. Seus passos serão mais práticos e curtos, como:

1 – Indicação do tema, explicando o assunto proposto;

2 – Resumo geral do texto. Nesta etapa falar sobre o autor e explicação do mesmo sobre o tema;

3 – Conclusão, com a sua opinião sobre o assunto;

4 – Informação sobre as fontes, com bibliografia;

5 – Rubrica e identificação do resenhista.

Ainda em dúvida de como criar e delinear a sua resenha? Pensando nestes questionamentos, trouxemos de forma resumida o passo a passo delas.

Tamplate de resenha

Ainda em dúvida de como criar e delinear a sua resenha? Pensando nestes questionamentos, baixa aqui seu modelo de resenha pronta.

Como formatar sua resenha

Observe  as instruções para formatar a resenha de acordo com este padrão.

Quanto à formatação geral

O trabalho deve ser apresentado em

  • Tamanho A4;
  • Espaçamento1,5cm;
  • Fonte Arial, tamanho 11;
  • Texto justificado;
  • Tabulação de parágrafos em 1,25cm;
  • As margens devem ter: 2,5cm (superior), 2cm (inferior), 2cm (lateral esquerda) e 2cm (lateral direita);
  • Cabeçalho em 1cm e o rodapé em 0,5cm;
  • O título atribuído à resenha deve estar centralizado, em negrito, tamanho 12, com letras maiúsculas e não deve ultrapassar duas linhas;
  • Subtítulo, observar letras maiúsculas e minúsculas. Não se coloca ponto final em títulos;
  • Identificação de Autoria;
  • Instituição e e-mail: tamanho 10, em itálico e centralizado. Observar a inserção da numeração de página ao centro da página, empregando também a fonte Arial em tamanho 10, conforme este modelo;
  • Em sua extensão, a resenha completa não deve exceder 3 (três) páginas, podendo conter no mínimo 1 (uma) página.
Categorias
Dicas TCC

Referencial Teórico: O que é, como fazer, exemplos

Um trabalho de conclusão de curso é composto de diversos tópicos e entre eles o referencial teórico. Em suma, é o resumo de ideias levantadas por outros autores sobre a temática. Assim, serve como base de sua pesquisa.

Neste artigo você aprenderá o que é um referencial, como fazer e as normas ABNT. Desta forma, acabará com todas as dúvidas sobre o tema. Por fim, não cometerá erros durante a produção de seu trabalho.

O que é um Referencial Teórico

Um referencial teórico é um resumo de discussões de outros autores sobre determinado assunto. Em geral ele deve servir como embasamento para construção de seu artigo.

Os autores escolhidos para o referencial devem ter autoridade no assunto. Ou seja, com grandes pesquisas e descobertas na área. Assim, você poderá colher informações a serem apresentadas em seu TCC.

Para realizar o referencial é importante que consulte a obra desses autores. Por exemplo, livros e artigos. Por fim, deverá colher o ponto de vista e argumentos utilizados por eles.

Como fazer

Para construir o referencial teórico é preciso inicialmente listar todos os tópicos que abordará sobre o assunto. Em seguida, comece a pesquisar os autores que são referências neles.

Livros, produções audiovisuais e artigos são alguns dos materiais usados. Logo, leia os autores selecionados e anote as principais ideias que serviram como embasamento de seu trabalho.

Na construção do referencial, evite citar repetidamente um autor. Ou seja, vá mesclando as ideias principais de todos que serão citados ao longo de seu TCC. Desta forma, trará ainda mais credibilidade para sua pesquisa.

Referencial Teórico

Referencial Teórico nas normas ABNT

Como todas as partes de um TCC, o referencial teórico também deve seguir as normas da ABNT. Logo, há alguns pontos que merecem atenção para que esteja tudo dentro das regras.

É preciso que cada parágrafo possua ao menos dois pontos. Ou então, duas frases completas. Também evite finalizar com citação, o ideal é que desenvolva a ideia e faça uma explicação com base nela.

Evite o uso de materiais que não sejam paginados ou não possuam autores. Afinal, poderá descredibilizar seu trabalho. Desta forma, opte apenas por conteúdos completos.

Outro ponto de atenção é em relação as citações. Em resumo, há três tipos que podem ser usadas em seu trabalho. Portanto, a formatação delas também difere uma da outra.

  • Direta é aquela da qual você copia exatamente o texto do autor;
  • Indireta é quando você transcreve o texto original com suas palavras;
  • Citação de citação, ou apud, é quando você cita algo de um autor que encontrou no livro de outro.

Cada uma dessas citações possuem uma formatação diferente nas normas ABNT. Por exemplo:

  • Indireta segue a mesma formatação do texto;
  • Direta curta não pode ultrapassar três linhas e leva aspas;
  • Longa é quando tem quatro ou mais linhas. Inicia em um novo parágrafo, recuo de 4cm a esquerda, fonte 10 e espaçamento simples.

Escrevemos um artigo sobre como fazer citação direta e indireta.

Referencial Teórico x Referencial bibliográfico

Há uma confusão entre referencial teórico e o bibliográfico. Mas já adiantamos que apesar dos nomes parecidos, as finalidades são diferentes. Inclusive, dentro do trabalho eles ocupam papeis distintos.

O teórico, como dito, é o embasamento do seu trabalho. Aliás, é um dos primeiros tópicos a ser descrito no TCC. Ou seja, é uma das obrigatoriedades da qual você descreve os pontos de estudo.

Na parte teórica há as citações que reforçam a credibilidade. Afinal, mostra que sua pesquisa é norteada por autores de renome no assunto. Além disso, já explica um pouco do que será tratado.

Já a referência bibliográfica é uma lista, do final do TCC, que consta todos os subsídios utilizados. Por exemplo, livros, sites, artigos, revistas, entre outras coisas. Porém, sempre seguindo as normas da ABNT.